quarta-feira, 1 de julho de 2020

“Spitfire grego” MJ755 voa novamente

Spitfire Mk IX MJ755 em 2006 (Foto Matteo Arrotta).

O Supermarine Spitfire Mk IXc MJ755, também conhecido como "Spitfire grego" por suas marcações incomuns, voou novamente no domingo, 19 de janeiro de 2020, pela primeira vez desde 1953.

A aeronave, que foi trazida de volta à aeronavegabilidade pelo Hangar Biggin Hill Heritage, serviu na frente do Mediterrâneo em 1944 e 1945 e foi vendida para a Grécia em 1947.

Seu último voo ocorreu em 8 de setembro de 1953, após o qual foi armazenado pela primeira vez e depois exibido como guarda do portão na base aérea de Tatoi. Foi finalmente recuperado pelo Museu da Força Aérea Helênica, perto de Atenas, que o exibiu até 2008, quando foi tomada a decisão de fazê-lo voar novamente.

A aeronave estava notavelmente completa e é relatado que muito poucas peças precisavam ser substituídas, tornando ele um dos Spitfires mais autênticos atualmente em voo.


Matéria originalmente publicada em worldwarbirdnews.com
Traduzido e adaptado por Rock & Aircraft.

domingo, 7 de junho de 2020

Chance Vought F4U-5NL "Flying Nightmares"


Construído em 1950 como F4U-5NL (BuNo 125541), este Corsair foi usado durante a Guerra da Coréia no VC-3 e no VMF-513 "Flying Nightmares". Após 122 horas de missões, ele retornou aos EUA em 10 de dezembro de 1952. Entregue à Argentina em 1957 entre um lote de 26 Corsair (F4U-5 e -5NL), ele usava os códigos 3-A-202 e depois 3-A- 204.

Exibido no Museu da Aviação Naval em Buenos Aires desde 1969, foi descoberto em 1991 na entrada da Base Aérea do Delta do Rio Paraná, no sul da Argentina. Foi comprado por quatro indivíduos (três franceses e um australiano) que o trouxeram de volta a Le Castelet em junho de 1994, nas oficinas de restauração da Sociedade Asert de Claude Semenadisse.
Foto Olivier (DR)

Foi então decidido transformar esta aeronave em F4U-7, uma versão criada especialmente para a aviação naval francesa. A reforma para o voo, foi dirigida por Didier Rohmer, e durou seis anos. As modificações mais visíveis foram o desmantelamento do radar do bordo de ataque da asa direita e a substituição da cobertura do motor e dos escapamentos por coberturas autênticas e escapamentos do F4U-7, provenientes do exposto ao Mobile no país. O motor Pratt & Whitney R-2800-32W original foi substituído por um mais potente Pratt & Whitney R-288-CB16.

Assim transformado, o Corsair voo em 9 de março de 2000, nas cores de uma aeronave da Flottille 14.F. Em dezembro de 2010, foi vendido à Max Alpha Aviation em Bremgarten (Alemanha). Após uma longa visita, foi atualizado para o padrão F4U-5NL pela Meier Motors e encontrou as cores que usava durante a Guerra da Coréia com o VMF-513, mas manteve seu registro francês. Assim restaurada, a aeronave fez seu primeiro voo em 5 de maio de 2011.


www.lecharpeblanche.fr 
Traduzido e adaptado por Rock & Aircraft.

sexta-feira, 29 de maio de 2020

De herói a vilão: A história do Ás da Segunda Guerra Mundial Chris Magee

Chris Magee

Christopher Lyman Magee nasceu em 1917 em Omaha, Nebraska e com apenas um ano de idade se mudou com seus pais para Chicago. Quando jovem, Magee era conhecido por familiares e amigos como “C.L” e logo desenvolveu uma reputação entre seus amigos por comportamentos e atividades aventureiras e às vezes perigosas. Durante o ensino médio, Chris equilibrou seu amor nativo pelo esporte e aptidão física com sua paixão pela leitura e aprendizagem – uma combinação de mente e corpo que ele manteria por toda a vida.

Após sua formatura na Mount Carmel High School, Magee dividia seu tempo trabalhando e se dedicando aos exercícios físicos e por volta de 1938 se destacou no time de atletismo de sua faculdade. Porém com a iminência cada vez maior do início da Segunda Guerra, que já eclodia pela Europa, o jovem Chris perdeu o foco na universidade e começou a ansiar para entrar no combate. Em janeiro de 1940, seu senso de aventura e indignação sobre a cultura de guerra, desenvolvidos a partir de suas várias leituras, e seu desejo de testar seu corpo e mente em combate, o levaram a pegar carona com dois amigos para Nova Orleans para então encontrar passagem para a Europa. Porém após semanas de tentativas, seus planos foram frustrados devido leis de neutralidade que os impediram de embarcar para o velho continente. Magee e um de seus amigos então seguiram de volta para Chicago, mas ele não foi derrotado.

quinta-feira, 14 de maio de 2020

‘Art’ Chin: O Às Chino-americano

Arthur 'Art' Sui-tin Chin (Foto: f John Gong Art: Roy GRINNELL www.roygrinell.com).

Arthur 'Art' Sui-tin Chin ('Chen, Rui-Tien em mandarim) nasceu em 1913 em Portland, Oregon. Seu avô era do condado de Taishan, província de Kwangtung, e havia sido alocado no Peru com o serviço diplomático imperial chinês. A mãe de 'Art' era uma órfã peruana que os Chins acolheram e criaram em Portland, Oregon, onde a família se estabeleceu depois de deixar o Peru. Mais tarde, ela se casou com o pai de 'Art', o que explicaria seus traços eurasianos.

sexta-feira, 8 de maio de 2020

Ivan Kleshchev: O às soviético

IVAN IVANOVICH KLESHCHEV

         Ivan Ivanovich Kleshchev alcançaria fama principalmente como o comandante do grupo 434.1AP altamente bem sucedido, o regimento ao qual Vladimir Orekhov pertencia. Veterano do conflito de Khalkhin Gol no início da Guerra, Kleschchev, de 23 anos, inicialmente fez uma ação considerável sobre a frente Kalinin com o grupo 521.1AP, sendo recomendado para a medalha HSU em março de 1942 como resultado de sua bravura. Nas comemorações do primeiro de maio de 1942, Kleshchev foi lançado aos olhos do público, como resultado de um apelo emocionante por maiores recursos para permitir que, os regimentos de combatentes repelissem os bombardeiros alemães. A essa altura, ele tinha 6 vitórias e seu grupo 13 vitórias.

quinta-feira, 7 de maio de 2020

CLÁSSICOS COADJUVANTES (parte 13) – O último Lockheed Comercial

Lockheed L-1011 TriStar (Foto Lockheed).

O Lockheed L-1011 TriStar, comumente chamado de L-1011 (pronuncia-se “L-ten-eleven, ou "L-dez-onze" em portugues) ou TriStar, foi um avião americano widebody trijato de médio a longo alcance fabricado pela Lockheed Corporation. Foi o terceiro widebody a entrar em operações comerciais, depois do Boeing 747 e do McDonnell Douglas DC-10. Tinha capacidade para acomodar até 400 passageiros e um alcance de mais de 4.000nm (7.410 km). O motor escolhido para o novo trijato foi o Rolls-Royce RB211 (dois motores nas asas,  com um terceiro motor montado no cone de cauda com uma entrada de ar de duto S embutida no estabilizador vertical). 

quinta-feira, 30 de abril de 2020

P-51D Mustang para a U.S. Navy? "Quase"


O protótipo do ETF-51D prestes a pegar o cabo ao pousar. Elder reclamou que a atitude da aeronave ao pousar tinha que ser controlada com precisão ou a estrutura da aeronave seria danificada. (Foto Marinha dos Estados Unidos).

Com uma superfície de 69 milhões de milhas quadradas, o Oceano Pacífico cobre quase um terço da superfície da Terra. Durante a Segunda Guerra Mundial, as operações militares no Pacífico foram confrontadas com o problema do alcance. Isso era particularmente verdade nas operações aéreas. O Japão continental foi bombardeado em 18 de abril de 1942 por Doolittle e seus B-25 Mitchell, mas esse foi um esforço único de valor principalmente psicológico. Todas as 16 aeronaves envolvidas foram perdidas e 11 dos 80 pilotos foram mortos ou capturados. Depois disso, nenhum bombardeio foi realizado contra as Ilhas Japonesas até a segunda metade de 1944, quando bombardeiros B-29 de longo alcance foram usados ​​a partir de bases na China e mais tarde nas Ilhas Marianas. Esses ataques não foram escoltados, pois nenhum caça tinha o alcance de escoltar os bombardeiros até o Japão e voltar.

domingo, 26 de abril de 2020

O Corsair do Museu Asas de um Sonho


Chance Vought F4U-1A Corsair c / n 4078 Bu.17995 Museu Asas de um Sonho em São Carlos, Brasil.

2 de junho de 2007.

Aqui está uma pesquisa sobre o Corsair em exibição no museu Asas de um Sonho, perto da cidade de São Carlos, no Brasil. O museu pertencia a companhia aérea TAM, que tem uma coleção seleta de aviões, incluindo exemplares de Spitfire, Messerschmitt, Thunderbolt, e, um Corsair, entre muitos outros.

sábado, 25 de abril de 2020

Blue Angenls e Thunderbirds na operação America Strong


Por: Yam Wanders

Em uma demonstração de solidariedade nacional, o Esquadrão de Demonstração de Voo da U.S. Navy, o Blue Angels e o Esquadrão de Demonstração Aérea da USAF, o Thunderbirds, realizarão uma série de sobrevoos de várias cidades nas próximas duas semanas.

sexta-feira, 24 de abril de 2020

Aviador australiano da 2º guerra é recomendado por bravura pelo seu inimigo de combate

Cowan voou o A16-201 através da formação japonesa de Zero´s e abriu fogo com suas duas metralhadoras calibre .30. Essa arte mostra como ele se encontrou com o FP02c Yonekawa Masayoshi e FP03c Mogi Yoshio, os dois alas do segundo voo de patrulha'. (Arte por info@aerothentic.com)

Mais de quarenta anos após o evento, um piloto japonês recomendou ao ministro australiano de Assuntos dos Veteranos de Guerra que um aviador australiano fosse premiado por bravura. Tal pedido de um ex-inimigo permanece único na história australiana e nas consequências da amarga guerra do Pacífico. O correspondente do Pacífico Sul Michael John Claringbould explora a ação do lado japonês.