quarta-feira, 28 de março de 2012

MD da Suíça diz que preço máximo do Gripen E/F para o país é fixo !


Declaração surge após uma semana de polêmica nos jornais suíços, nas quais o tema principal foi o custo de implantação de uma linha de montagem do caça na Ruag suíça

Nesta terça-feira, 27 de março, o ministro da Defesa da Suíça Ueli Maurer defendeu mais uma vez a escolha do caça sueco Gripen pelo Governo Suíço. A declaração foi feita durante uma apresentação à imprensa do sistema de comunicações do Exército, em Schönbühl. Maurer garantiu, segundo o jornal Le Temps, que a fatura do Gripen não explodirá.

O ministro assegurou que a Suíça não vai participar financeiramente dos custos de desenvolvimento dos Gripens suecos, e que os 22 aviões que o Conselho Federal pretende encomendar à Saab não vão custar mais do que 3,1 bilhões de francos suíços. O preço máximo está garantido, embora atualmente exista apenas um protótipo do modelo E/F, disse Maurer. O ministro também disse que seu departamento está negociando questões de atrasos na entrega com a Suécia. Os detalhes serão mostrados em meados do ano, com a apresentação do programa de armamentos.

Maurer também disse que especulações a respeito dos riscos para a Suíça são falsas e que os preços estão fixados. No máximo, eles podem ser afetados pela inflação, mas não é esperada nenhuma surpresa em relação ao contrato global, afirmou o ministro.

A notícia também saiu no jornal suíço Tribune de Genéve, que na semana passada já havia colocado em dúvida em uma matéria a questão dos preços e dos riscos do Gripen, o que repercutiu em diversas outras mídias do país. A alusão do ministro a “especulações falsas” parece ser endereçada a essas notícias da última semana.

Ainda sobre a declaração de terça, o Tribune de Genéve trouxe algumas outras informações a mais que o Le Temps. “Nós compramos um avião de combate a preço garantido”, disse o ministro, visando claramente desmentir riscos de derrapagem financeira na aquisição do Gripen. “O preço máximo será de 3,1 bilhões de francos”.

Maurer ainda disse, segundo o jornal, que as novas aeronaves poderia custar ainda menos: “Estamos em negociação com o Governo Sueco para reduzir os custos operacionais ao mínimo.” O ministro destacou, por exemplo, que a formação dos pilotos e dos mecânicos será feita na Suécia. Ele espera que o preço final máximo garantido fique ainda abaixo dos 3 bilhões de francos suíços, e desmentiu que a instalação de uma linha de montagem final aumentaria os custos: “Isso está incluído nos 3,1 bilhões. Isso estava incluído em todas as opções de compra. Devemos ter a capacidade de reparar até os menores defeitos técnicos.” Por fim, ele disse que o Gripen não foi escolhido para favorecer a empresa suíça Ruag.

O custo da produção local, motivo de discussão na mídia suíça

As declarações fazem mais sentido quando se lê a reportagem de 21 de março do mesmo jornal, que dizia trazer informações exclusivas a respeito da compra. A reportagem repercutiu numa TV suíça (SFTV) e em outros jornais com versões publicadas em francês (24 heures) e alemão (Tages Anzeinger). Na reportagem do dia 21, o Tribune de Genéve dizia que o preço dos 22 caças Gripen havia caído para 2,2 bilhões de francos suíços, e ainda fazia piada com os suecos, por gostarem de coisas simplificadas como contas redondas: 100 milhões por aeronave.


FONTES: informações compiladas, traduzidas, adaptadas e editadas a partir de notícias dos jornais Le Temps e Tribune de Genéve, tendo sido também consultados os sites da SFTV, 24 heures e Tages Anzeinger

FOTOS: Saab

Nenhum comentário:

Postar um comentário