sábado, 14 de abril de 2012

F-22 Raptor com incremento 3.1 participam de seu primeiro exercício operacional


Uma mistura de pessoal do 477° Grupo de Caça, da 3ª Ala, e da 673ª Ala Aérea deixaram a Base Aérea Conjunta de Elmendorf-Richardson, Alasca, para participar de um exercício de ataque de longo alcance no dia 4 de abril. Dentre as aeronaves estavam os F-22 Raptors com o pacote de modernização Incremento 3.1.

Os F-22 Raptors e E-3 que estavam atribuído à 3ª Ala, juntamente com caças F-16 da Base Aérea de Misawa, Japão, e bombardeiros B-1 da Base Aérea de Ellsworth, South Dakota, e reabastecedores KC-135s da Base Aérea de Eielson, Alasca, participaram da operação do Comando Estratégico dos EUA. Os caças F-22s, os aviões tanques KC-135s e as aeronaves “aggressor” F-16 operaram a partir de Eielson, enquanto no céu as aeronaves E-3 Sentry e F-16 da equipe azul davam apoio aéreo ao exercício operando fora da base de Elmendorf. Os bombardeiros B-1 que participam no exercício de ataque de longo alcance efetuaram uma viagem de 10 horas a partir da Base Aérea de Ellsworth para atacar seus alvos a leste da Base Aérea de Eielson.

“O objetivo desta operação era para validar a capacidade de ataque de longo alcance dos B-1s, bem como a capacidade do F-22 e F-16 para escoltá-los para uma área alvo com acesso bloqueado”, disse o tenente-coronel Joseph Kunkel, comandante do 90° Esquadrão de Caça, que enviou cinco pilotos de seu esquadrão, um piloto do 302° Esquadrão de Caça, 20 técnicos em manutenção, um cirurgião de vôo e um engenheiro bioambiental para participar do exercício na Base Aérea de Eielson.

Esta foi a primeira vez que os Raptors participaram neste exercício integrados com várias plataformas de diferentes comandos principais. Foi também a primeira vez que o hardware do incremento 3.1 do F-22 e sua recente atualização de software, foi utilizado num exercício de emprego de grande força.

“O incremento 3.1 dá ao Raptor os meios para localizar e atacar alvos no solo. Durante esta operação, foi fundamental para o acompanhamento nas forças para completar as suas missões”, disse Kunkel. “Nossa integração com o 3.1 foi extremamente bem. Nós fomos capazes de coletar lições valiosas com este exercício que não tínhamos visto antes e nós completamos o treinamento nas melhorias do incremento 3.1 para dois dos pilotos.”

A operação foi realizada no Complexo Conjunto da Faixa Alasca-Pacífico perto da Base Aérea de Eielson. O espaço aéreo de 65.000 milhas quadradas fornece um ambiente de formação diversificado permitindo que os pilotos treinem de forma realista e em conjunto em situações semelhantes as que serão encontradas em combate.

nquanto este foi o primeiro exercício que os Raptors com Incremento 3.1 participam, não foi a primeira vez que os pilotos da reserva do F-22 designados para o 302° Esquadrão de Caça são integrados com o serviço ativo. Desde que a unidade foi ativada em 2007, pilotos e mantenedores têm integrado em todos os aspectos das operações da 3ª Ala.

“Este treinamento realista é o resultado de aviadores de alta qualidade aproveitando novas capacidades em uma área de excelente formação”, disse o coronel Tyler Otten, vice-comandante do 477° Grupo de Caça. “Este é um grande exemplo de parceiros integrados de força total trabalhando juntos para cumprir a nossa missão compartilhada.”

Fonte: Capt. Ashley Conner, 477th Fighter Group Public Affairs

Nenhum comentário:

Postar um comentário