sábado, 14 de abril de 2012

OTAN expressam interesse no sistema K-MAX




Uma fonte oficial da Lockheed-Martin tornou público o interesse de alguns países aliados da OTAN pela versão híbrida do helicóptero de transporte Kaman desenvolvida pela companhia.

“Existe um enorme interesse demonstrado por alguns dos nossos aliados” afirma Jim Naylor, diretor de desenvolvimento do projeto K-MAX da Lockheed.

Naylor identifica os interessados como membros integrantes da Aliança Atlântica, mas afirma que não pode especificamente identificar quais os países.

Actualmente a companhia encontra-se focada no programa não-tripulado dos Fuzileiros Navais dos EUA (USMC), mas também existe a hipótese de desenvolverem uma versão armada ou de vigilância utilizando a versão tripulada do K-MAX.

A Lockheed equipou a aeronave com um sistema seguro de datalink, e com a utilização desse sistema a aeronave pode desempenhar outras missões se assim for necessário. “Esta plataforma é ideal para ser acrescentada com outro tipo de capacidades devido ao seu desempenho no transporte de carga,” afirma Naylor.

Até ao momento os Corpo de Fuzileiros Navais dos EUA foi a entidade que se mostrou mais interessada. Os Fuzileiros têm efetuado diversos ensaios com o K-MAX no Afeganistão desde Dezembro de 2011, mediante um contrato de seis meses. Segundo Naylor, o contrato pode ser prorrogado por mais seis meses.

As duas aeronaves que estão sendo testadas têm voado em conjunto entre cinco a seis missões diárias a partir de duas bases avançadas. Foram efetuadas mais de 230 missões com um índice de eficácia de cerca de 94%, afirma Naylor. O K-MAX atualmente tem uma taxa de manutenção de cerca de 0.8 horas por hora de voo.

Segundo Naylor, a experiência que esta sendo adquirida no Afeganistão levará o Departamento de Defesa Americano (DoD) a adquirir mais helicópteros.

A produção do K-MAX foi encerrada em 2003, e a Kaman terá de reabrir e manter a sua linha de produção caso o DoD ou outro país adquira este helicóptero híbrido.

Fonte: Flightglobal

Nenhum comentário:

Postar um comentário