terça-feira, 17 de abril de 2012

Pentágono adiciona mais dois caças F-35 no quinto lote


A Lockheed Martin disse na última sexta-feira que recebeu um contrato avaliado em US$ 259 milhões para adicionais dois jatos de caça F-35 do Lote V que os militares dos EUA estão adquirindo, aumentando o tamanho do lote para 32 jatos, conforme informações do Pentágono e dos funcionários da Lockheed.

A Lockheed e o Pentágono ainda estão negociando os termos finais do contrato de produção com preço fixo do quinto lote do novo caça furtivo, depois de chegar a um acordo em dezembro, para o contrato de entrega indefinida de US$ 4 bilhões para 30 aviões de combate.

O acordo de sexta-feira, anunciado num resumo diário do Pentágono de grandes contratos, eleva as encomendas para o quinto lote de acordo com o número financiado no orçamento do Pentágono para o ano fiscal de 2011. Esse ano fiscal foi encerrado em setembro do ano passado, mas as negociações começaram um pouco atrasadas.

As duas adições do contrato são de uma aeronave de decolagem e pouso convencional F-35A, além dos 21 que haviam sido negociados para USAF, e uma variante embarcada F-35C adicional aos seis previstos para a Marinha. O total de aeronaves F-35B para o Corpo de Fuzileiros Navais é de três no contrato.

A Lockheed está desenvolvendo e construindo as três variantes do Joint Strike Fighter para os militares dos EUA e oito países que estão ajudando a financiar o seu desenvolvimento.

O Pentágono disse ao Congresso no mês passado que o custo projetado para desenvolver, construir e operar e manter 2.447 jatos pelos próximos 55 anos seria de US$ 1,51 trilhão, um aumento de 8,6% da estimativa anterior.

A Turquia, que disse em fevereiro que pretendia comprar um total de 100 caças F-35s, vai comprar apenas dois este ano, e irá decidir a cada ano seguinte quantos aviões ela vai pedir, disse o ministro da Defesa Ismet Yilmaz na quinta-feira.

O Pentágono e a Lockheed permanecem otimistas sobre o futuro do novo caça depois de uma recente reestruturação, mas o projeto já atingiu alguns poréns no exterior.

A Itália reduziu sua encomenda total em 41 jatos para 90, devido às pressões orçamentais, e no Canadá na semana passada disse que estava congelando um orçamento 9 bilhões de dólares canadenses para a próxima geração de caças depois que um relatório de vigilância do governo disse que a decisão do Canadá para comprar 65 F-35s foi baseada em dados ruins que subestimaram os problemas do programa.

Os outros países parceiros são a Grã-Bretanha, Austrália, Holanda, Noruega e Dinamarca.

Fonte: Reuters

Nenhum comentário:

Postar um comentário