terça-feira, 17 de abril de 2012

Rússia investe em aeronaves com supermanobrabilidade


A Força Aérea Russa começou a trabalhar na modernização da frota de aeronaves militares do país à frente da finalização do caça de quinta geração. De imediato foi decidido equipar os modelos atuais de caças disponíveis com motores de empuxo vetorial. O primeiro lote de caças atualizados será entregue à Força Aérea no final de 2020. Prevê-se também que todos os novos caças T-50 se tornarão operacionais até esta data.

“Quando um avião equipado por um motor normal é levado para uma atitude de grande ângulo de ataque a baixas velocidades, perde o controle e estabilidade, e começa a se mover independentemente dos comandos do piloto, isto é, a aeronave se move de forma aleatória. O Su-35 tem uma controlabilidade perfeita a qualquer velocidade, mesmo em velocidades negativas, por exemplo, quando o avião joga a cauda para a frente. O piloto pode efetivamente colocar a aeronave em qualquer posição angular,” disse Sergei Bogdan, um piloto de testes dos caças Su-35 e T-50.

Um porta-voz da Corporação Sukhoi disse que a empresa planeja a entrega de novas aeronaves supermanobráveis para a Força Aérea. Uma fonte da United Aircraft Corporation (UAC) confirmou isso e acrescentou que os motores 117S (AL-41F-1) com vetoração de empuxo 3D seriam utilizados para alimentar não só o Su-35 e PAK FA (T-50), mas também as aeronaves Su-30MK2 e Su-30MKI. A Força Aérea da Rússia assinou seu primeiro contrato com a Corporação Irkut para a entrega de 30 aviões deste tipo para o Exército.

Um mock-up do motor AL-41F-1 feito pelo Ufa Engine Industrial Association (UMPO) foi recentemente apresentado pela United Engine Corporation Managing Company (UEC) na exposição de sistemas de segurança e defesa Defexpo Índia 2012. O AL-41F-1 é uma versão muito melhorada do motor AL-31F com um empuxo ampliado em 2,5 toneladas, em comparação com a versão básica. O bocal vetorado do jato com controle do vetor empuxo garante a supermanobrabilidade em baixas velocidades e outras características únicas da aeronave alimentada pelo novo motor, disse o serviço de imprensa da UMPO.

O primeiro lote desses motores foi entregue à Sukhoi por volta do terceiro trimestre de 2010. A UMPO planeja fornecer 96 motores para equipar mais 48 caças Su-35 até 2015.

O primeiro motor com empuxo vetorial do mundo apareceu pela primeira vez na versão de exportação do Su-30 oferecido para a Índia. O primeiro contrato para a entrega de aviões deste tipo foi assinado há mais de 10 anos atrás. A Índia opera atualmente 150 aeronaves Su-30 e tem planos para contratar a entrega de mais 100 aeronaves. Além disso, a Rússia fornece o modelo Su-30 equipado com estes motores para a Malásia e Argélia.

“Esta é a mesma versão indiana, mas ele é projetado para nossas forças aéreas e tem aviônicos de fabricação russa. Todos os novos aviões da classe Su-27 irão agora ser alimentados por motores com empuxo vetorial, pois desde 2011, o Ministério da Defesa tem procurado mais adquirir novas máquinas”, disse um porta-voz da UEC. De acordo com ele, tecnicamente esses motores podem ser instalados mesmo em aeronaves mais antigas, porque tendem a desgastar mais rapidamente do que o corpo, no entanto, quando chega o momento para substituir os motores, é provável que instalem motores regulares sem os bocais com jato vetorado, já que a Força Aérea ainda tem muitos motores no seu estoque. A partir de agora, os aviões equipados com o novo motor são usados apenas em centros de formação de pilotos.

Os motores com bocais de expuxo vetorial também equiparão os caças MiG-29K embarcados em porta-aviões, que o Ministério da Defesa está adquirindo para o Almirante Kuznetsov, único porta-aviões do país. A fábrica de motores Klimov já está fazendo estes motores para os caças MiG vendidos para a Índia, no âmbito do contrato do porta-aviões Almirante Gorshkov.

Os projetistas de aeronaves continuam trabalhando para aperfeiçoar o PAK FA T-50, apesar do fato de que muitos países desenvolvidos têm desistido de seus aviões de caça de quinta geração para se concentrar na sexta geração com aeronaves não-tripuladas. Os especialistas concordam que seria razoável seguir o mesmo, no entanto, a Rússia não tem nem o dinheiro nem tempo para desenvolver as suas aeronaves de sexta geração – pois a frota de aeronaves russas não é atualizada há mais de 20 anos.

O T-50 teve seu vôo inaugural em janeiro de 2010. A conclusão dos sistemas de mísseis projetados especialmente para este caça está previsto para 2014. Sessenta caças T-50 devem ser entregues para as Forças Aéreas da Rússia até 2020.

Fonte: Russia & India Report

Nenhum comentário:

Postar um comentário