quinta-feira, 24 de maio de 2012

Indiana assina acordo para compra de 75 aeronaves de treinamento Pilatus PC-7 MkII


A Pilatus Aircraft anunciou hoje que a Força Aérea da Índia fechou um contrato para adquirir uma frota de 75 aeronaves turboélices PC-7 MkII, juntamente com um sistema integrado de formação baseado no solo e um pacote de apoio logístico. O contrato está avaliado em mais de US$ 523 milhões.

O contrato também contém uma cláusula de opção para ampliar o presente contrato, dentro de três anos a partir da assinatura inicial, e a fabricante está otimista de que isso vai realmente ocorrer.

A Força Aérea da Índia junta-se a mais de 30 outros países que buscam modernizar sua linha de treinamento com o sistema mais moderno, capaz e rentável de formação de vôo básico atualmente disponível no mercado. A Força Aérea Indiana é a quarta maior força aérea do mundo, com cerca de 170.000 pessoas e 1.500 aeronaves operacionais em mais de 60 bases aéreas. Este contrato vai elevar a frota de treinadores turboélice Pilatus operacionais para mais de 900 em todo o mundo.

A entrega da aeronave e do sistema completo de formação está prevista para começar no quarto trimestre de 2012. A decisão de escolher o sistema de treinamento PC-7 MkII foi feita após uma avaliação minuciosa pela Força Aérea Indiana, que analisou todas as opções disponíveis: Airbus Military PZL-130 Orlik, Alenia Aermacchi M-311, Embraer EMB-314 Super Tucano, Grob G120TP, Korea Aerospace Industries (KAI) KT-1 e Raytheon T-6 Texan II. O processo foi demorado porque a KAI entrou com um protesto contra a seleção do modelo suíço, mas que acabou perdendo no final de abril.

A Pilatus Aircraft vê este contrato para a Força Aérea da Índia como um grande sucesso e acredita que vai incentivar outras forças a dar uma olhada na solução suíça de treinamento de pilotos.

Juntamente com este contrato será criada uma capacidade de manutenção de nível de depósito na Índia, que inclui a transferência de tecnologia necessária para a Hindustan Aeronautics Limited (HAL), permitindo que o país possa realizar a manutenção da plataforma ao longo de sua vida útil de mais de 30 anos. A Hindustan Aeronautics Limited (HAL) foi criado em 1940 com o Governo da Índia como principal acionista, com cerca de 35.000 funcionários com base em oito locais em toda a Índia.

Nenhum comentário:

Postar um comentário