terça-feira, 5 de junho de 2012

Boeing Phantom Eye conclui seu primeiro voo autônomo


O Sistema Aéreo Não-Tripulado (UAS) Boeing Phantom Eye completou seu primeiro voo autônomo no dia 1° de junho, no Centro de Pesquisa de Voo Dryden da NASA, na Base Aérea de Edwards, na Califórnia. Veja a seguir o vídeo do primeiro voo.

 O vôo de 28 minutos começou às 6:22hs, hora do Pacífico, quando a aeronave movida a hidrogênio líquido soltou-se de seu carrinho de lançamento. O Phantom Eye subiu até uma altitude de 4.080 pés e atingiu uma velocidade de cruzeiro de 62 nós. Depois de pousar, o veículo sofreu pequenos danos quando o trem de pouso afundou na areia e quebrou.

“Este dia marca uma nova era das missões persistentes de Inteligência, Vigilância e Reconhecimento (ISR) quando uma aeronave não-tripulada permanecerá em voo por até dia num momento crítico, fornecendo informações e serviços”, disse Darryl Davis, presidente da Boeing Phantom Works. “Este vôo coloca a Boeing no caminho para realizar outro feito aeroespacial inédito – a capacidade de permanecer em voo autônomo por até quatro dias, sem reabastecimento.

” O Phantom Eye é o último de uma série de programas de rápida prototipagem financiados pela Boeing, que incluem o Phantom Ray, Echo Ranger, ScanEagle Compressed Carriage, e um sistema associado Common Open Mission Management Command and Control (COMC2) capaz de gerenciar todos os ativos não-tripulados da empresa.

 “Enquanto o Phantom Eye é importante por muitas razões, os futuros programas de ataque, bombardeiros e ISR também se beneficiarão das tecnologias que estamos desenvolvendo e amadurecendo para os nossos clientes”, disse Davis. O vôo ocorreu após uma série de testes de táxi em abril, que validaram no solo o sistema de orientação, navegação e controle, o planejamento de missões, a interface com o piloto e os procedimentos operacionais. “Este vôo demonstrou o tratamento inicial e as capacidades de manobrabilidade do Phantom Eye”, disse o Gerente do Programa Phantom Eye, Drew Mallow.

“A equipe está agora analisando os dados da missão e se preparando para o nosso próximo vôo. Quando voarmos o demonstrador de novo, vamos entrar em envelopes maiores e mais exigentes de voo em alta altitude.” O sistema inovador e ambientalmente responsável de propulsão de hidrogênio líquido do Phantom Eye, permitirá que a aeronave permaneça em voo por até quatro dias, enquanto oferece monitoramento persistente ao longo de grandes áreas num teto operacional de até 65.000 pés, criando apenas água como subproduto. O demonstrador, com a sua envergadura de 150 pés, é capaz de transportar uma carga útil de 450 libras.

 O portfólio da empresa de soluções UAS inclui o Hummingbird A160T, o helicóptero não tripulado H-6U Little Bird, o S-100 Camcopter, o ScanEagle (que está atualmente em serviço no Canadá, Austrália, Polônia, Holanda e Malásia), o Dominator, o Phantom Eye e o Phantom Ray.

Nenhum comentário:

Postar um comentário