segunda-feira, 25 de junho de 2012

Sierra Nevada entrega proposta final para Força Aérea dos EUA relativa ao programa LAS


A Sierra Nevada Corporation (SNC) anunciou na sexta-feira que apresentou os componentes finais da sua resposta ao pedido de propostas para o programa de aeronaves de Apoio Aéreo Leve (LAS) para Força Aérea dos Estados Unidos.

A SNC é uma parceria com a Embraer para fornecer a aeronave de contra-insurgência A-29 Super Tucano para atender às exigências de missão LAS. As duas empresas reuniram-se e já venceram a competição, só que tiveram o contrato anulado na sequência de um processo da empresa concorrente desclassificada. O A-29 Super Tucano é única aeronave na competição que está atualmente em uso com as forças armadas ao redor do mundo e realizando operações de contra-insurgência e de inteligência, vigilância e reconhecimento (ISR).

A SNC está participando do novo processo de seleção no programa LAS, ao mesmo tempo que prossegue a ação judicial para restabelecer o contrato que venceu em dezembro passado.

“Nosso objetivo de uma forma ou de outra é oferecer a capacidade LAS nas mãos de quem precisa da maneira mais célere, justa e transparente”, disse Taco Gilbert, vice-presidente de Desenvolvimento de Negócios de ISR da SNC. “Nós temos as mais capazes aeronaves LAS e nossa solução global atende atualmente às necessidades do nosso combatentes e aliados no solo no Afeganistão, além de fornecer um valor significativo para o contribuinte americano”.

O desempenho recorde

A missão LAS requer uma aeronave “ready-to-go”, não um projeto em desenvolvimento, para operar num ambiente de contra-insurgência e com condições extremamente austeras, a um custo significativamente menor do que um avião de caça. No entanto, deve ser capaz de carregar uma ampla variedade de munições e fornecer a maior parte das capacidades tecnológicas e de comunicações de um caça moderno.

O A-29 Super Tucano foi propositadamente construído para a contra-insurgência e missões de apoio aéreo leve. Ele está atualmente em uso ou encomendados por nove forças militares em três continentes para fornecer segurança e apoio aéreo leve, formação avançada e operações armadas ISR. Tem uma plataforma robusta e rem de pouso elevado que proporciona estabilidade em terrenos acidentados e permite decolar e pousar em pistas não preparadas.

“A necessidade para a capacidade LAS no Afeganistão não mudou, só se tornou mais urgente”, disse Gilbert. “Apesar de quase um ano e um meio ter passado desde que a RFP original foi emitida, o A-29 Super Tucano continua sendo a única aeronave na corrida que é provada em combate e capaz de satisfazer as necessidades atuais dos comandantes no teatro de operações.”

Enquanto a RFP original continha uma demonstração de vôo, a versão alterada não contém tal exigência. Isso faz com que o desempenho comprovado da A-29 Super Tucano seja ainda mais valioso. Com mais de oito anos de serviço e mais de 160 aeronaves entregues, sabe-se muito sobre o desempenho, eficácia operacional e os custos para operar e manter o A-29 Super Tucano. A frota de A-29 Super Tucano alcançou uma média de mais de 84 por cento de disponibilidade e 99 por cento a eficácia nas missões.

Apoiar a economia dos EUA

Os A-29 Super Tucanos que serão fornecidos através do contrato LAS serão construídos nos EUA em Jacksonville, Flórida, por trabalhadores norte-americanos com peças e serviços de cerca de 70 empresas norte-americanas. Aproximadamente 86 por cento do valor em dólar de cada aeronave virá a partir de componentes fornecidos por empresas norte-americanas ou de países que se qualificam dentro da Lei Buy American. Ao todo, mais de 1.200 empregos americanos serão apoiados através do contrato, incluindo a criação de novos empregos na indústria aeroespacial em Jacksonville. A Embraer vai investir cerca de US$ 3 milhões ao trazer a unidade de produção em linha nos EUA. A instalação, a operação relacionada com a defesa em primeiro lugar nos EUA, irá complementar suas operações de crescimento dos EUA.

“As raízes da Embraer nos EUA remontam há mais de 30 anos, em 1979, quando nós estabelecemos nossa empresa dos EUA pela primeira vez em Ft. Lauderdale. Desde aquela época, que investimos US$ 115 milhões em instalações e infra-estrutura aqui”, disse Gary Spulak, Presidente da Embraer Aircraft Holding. “Enquanto outras empresas estão movendo suas operações industriais e de pesquisa e desenvolvimento para fora dos EUA, vemos uma tremenda oportunidade e uma força de trabalho aeroespacial de grande talento aqui.”

No ano passado, a Embraer abriu sua primeira unidade de montagem de aviões EUA e um novo Centro Global de Atendimento ao Cliente para jatos executivos em Melbourne, Flórida, empregando 200 pessoas. Em março, a empresa anunciou o estabelecimento do Centro de Engenharia e Tecnologia da Embraer nos EUA – também em Melbourne. Este centro de pesquisa e desenvolvimento vai empregar 200 engenheiros aeroespaciais.

“Estamos oferecendo para a Força Aérea dos EUA a solução de baixo risco. Nossa aeronave está operacional hoje e seu desempenho e os custos são bem documentados”, disse Gilbert. “A SNC e a Embraer são empresas fortes e em crescimento, estão investindo nos EUA e na criação de novos empregos aqui. Ambas as empresas estão aqui para ficar.”

Nenhum comentário:

Postar um comentário