quinta-feira, 12 de julho de 2012

Aeronave KC-390 cresce em importância para Embraer Defesa e Segurança


O programa da aeronave militar de transporte tático/reabastecimento em voo KC-390 representará 39% da receita total da Embraer Defesa e Segurança em 2012, acima dos 19% no ano passado, e é um grande foco da presença da empresa em Farnborough.

“Estamos numa fase muito importante agora, que é a fase de definição conjunta, e como o projeto é totalmente financiado pelo governo, estamos recebendo mais receitas e dinheiro para cuidar dessa fase, que é mais importante em volume do que foi a primeira fase do projeto no ano passado”, disse Luiz Carlos Aguiar, presidente da Embraer Defesa e Segurança.

“O KC-390 faz uma grande diferença – é o principal motor de nosso crescimento a partir de 2011-2012.”

A Embraer diz que o programa KC-390 permanece na programação, e há agora 800 pessoas trabalhando nisso. A fase de definição conjunta deve ser concluída até o primeiro trimestre de 2013.

“Em março ou abril [de 2013], teremos os termos e condições finais para essa aeronave poder seguir ao mercado e vendê-lo de forma agressiva”, diz ele.

A Embraer prevê um mercado de 700 aeronaves KC-390 até a década de 2025, no valor de cerca de US$ 50 bilhões.

“Nós identificamos mais de 2.000 aviões antigos neste segmento”, diz Aguiar. “A maioria destes são [Lockheed] C-130 e precisam ser substituídos nos próximos 10 anos. Não há dúvida sobre isso.”

A Embraer está descontando os países como a China e a Índia, que estão desenvolvendo suas próprias aeronaves de transporte militar – como compradores potenciais do KC-390.

“Decidimos excluir [a partir da previsão] os países que têm um fabricante no mesmo segmento”, disse Aguiar. “Nós não estamos considerando os EUA, Rússia ou Índia, ou os países com problemas de controle de exportação.

“Nosso avião vai estar no mercado em 2016. Acho que vai ser o primeiro [antes do MTA chinês/russo], que será um benefício.”

O KC-390 reve realizar seu primeiro vôo em 2014. As cartas de intenção, abrangendo um total de 60 aeronaves, foram garantidas no Brasil (28), Colômbia (12), Argentina (6), Chile (6), Portugal (6) e na República Checa (2).

A França manifestou interesse em adquirir 10 aeronaves: “A França é um dos países incluídos na nossa previsão. Nós não vemos qualquer obstáculo para tentar vender para a França. É nossa intenção promover o KC-390 na França.”

Fonte: Flight Global

Nenhum comentário:

Postar um comentário