terça-feira, 17 de julho de 2012

Boeing prevê aumento de interesse pelo F-18 nos EUA e no exterior


Com o aumento dos preços e prazos fugindo do controle para o caça Lockheed Martin F-35 Joint Strike Fighter, a Boeing diz que está vendo uma retomada no interesse pelos F-18 em mercados estrangeiros aos Estados Unidos.

A empresa está especialmente interessada nas potenciais vendas internacionais, disse Mike Gibbons, vice-presidente dos programas F/A-18 e EA-18 da Boeing Military Aircraft. A empresa pode aproveitar sua presença global para oferecer melhores ofertas para clientes internacionais, especialmente quando se trata de oferecer a participação industrial nas instalações da Boeing ou nos programas ao redor do mundo, diz Gibbons.

“Podemos mapear tudo na Boeing”, disse Gibbons no dia 12 julho, durante uma simulação de tecnologia do F-18 fora do Pentágono. A Boeing pode trocar por trabalho em outros programas como um adicional para fechar potenciais vendas do F-18, diz ele.

Não apenas o Brasil, mas outros países estão interessados nos F-18s, bem como forças militares estrangeiras que estão de olho em algumas das melhorias do cockpit que foram apresentadas na mais recente proposta de Super Hornets, disse Gibbons.

O novo cockpit permite que a tripulação possa adaptar os displays, mudando tamanho, posição e tipo, dependendo do que eles precisam ou querem em qualquer determinado cenário, com uma capacidade de mudança de tela semelhante a muitos computadores pessoais.

Uma mudança que a Marinha dos EUA está particularmente interessada, disse Gibbons, é o desenvolvimento de tanques de combustível conformais, que também abriria a posição atual do tanque central de combustível para outras cargas.

Agora a Boeing só precisa manter a linha de produção F-18 em ritmo lento até que a Marinha dos EUA ou potenciais compradores internacionais decidim se querem adquirir a aeronave. “Nossa linha está boa até o final de 2015″, disse Gibbons. Até então, a Boeing acredita que a Marinha dos EUA e outros potenciais compradores devem estar prontos para decidir.

Uma aeronave que está ajudando a manter o F-18 numa alta taxa de produção é o EA-18G Growler, a versão de guerra eletrônica (EW) da Marinha dos EUA.

“Há uma tremenda necessidade de adicionais Growlers”, disse Gibbons. Entre o ano fiscal de 2008 e o ano fiscal de 2017, a Marinha terá gasto ou está previsto gastar cerca de US$ 1,5 bilhão para aeronaves Growlers, fazendo a aeronave ser a terceira maior plataforma de Guerra Eletrônica do serviço para esse período de tempo, baseado numa análise da Aviation Week.

Fonte: Aviation Week

Nenhum comentário:

Postar um comentário