quarta-feira, 4 de julho de 2012

Força Aérea dos EUA investiga outro incidente com um piloto de F-22


Na semana passada, um piloto de F-22 Raptor na Base Aérea de Langley reportou o que ele pensou ser um problema mecânico com o sistema de apoio a vida a bordo de sua aeronave. Isso ocorreu depois que ele completou seu voo e pousou em segurança.

Até agora, a Força Aérea dos EUA (USAF) não classificou o fato como um “incidente fisiológico” do tipo que provocou uma investigação sem precedentes sobre o caça furtivo.

“Com base nas circunstâncias que envolvem o evento, as indicações iniciais são de que o problema foi de natureza mecânica”, disse o tenente-coronel Tadd Sholtis, porta-voz do Comando de Combate Aéreo (ACC).

No entanto, a Força Aérea pode certamente classificá-lo como público: o incidente foi relatado nessa segunda-feira pelo The New York Times, que disse que o incidente aconteceu na pista enquanto o repórter e o fotógrafo estavam na base fazendo uma história.

A Força Aérea passou meses investigando por que alguns pilotos de Raptor relataram sentir tonturas ou atordoamento, que são sintomas de privação de oxigênio, também chamado de hipóxia. A teoria inicial declarada era de que os pilotos não estavam recebendo nem oxigênio suficiente ou que o oxigênio estava contaminado com toxinas.

Os problemas encheram as manchetes nacionais em maio, quando dois pilotos da Guarda Aérea Nacional da Virginia vieram a público com as suas preocupações, dizendo no programa “60 Minutes” que eles não se sentiam confortáveis em voar a aeronave.

No mês passado, uma nova possibilidade surgiu.

O Comando de Combate Aéreo ordenou que os pilotos de F-22 removessem o colete tipo “traje de pressão superior” detectado como tendo problemas. Testes haviam determinado que o colete tornava mais difícil que os pilotos pudessem respirar em alguns casos. Também sob investigação estão as peças de vestuário adicionais usadas para proteger os pilotos depois de uma ejeção. Os pilotos baseados em Langley usam camadas extras para isolá-los contra a água fria no caso deles cairem no oceano, por exemplo.

O incidente da semana passada não foi tratado como um problema de manutenção mesmo sendo assim relatado pelo piloto. Em vez disso, Sholtis disse, eles seguiram os protocolos para coletar informações sobre o que aconteceu e como”, para que possam determinar se ele constitui um incidente fisiológico do tipo que está sendo investigado – isto é, aquele em que os componentes do sistema de suporte de vida estão funcionando, mas os pilotos ainda tem os sintomas.”

Ele disse que vai levar várias semanas para obter os resultados dos testes.

O senador Mark R. Warner, que lançou sua própria investigação sobre o assunto, quis ser informado.

“Temos pressionado a Força Aérea dos EUA para uma explicação mais completa do incidente da semana passada,” disse o porta-voz Kevin Hall nessa segunda-feira.

Fonte: Daily Press

Nenhum comentário:

Postar um comentário