quarta-feira, 4 de julho de 2012

Força Aérea dos EUA pronta para iniciar testes de C-130H com melhorias nos motores


Os testes de vôo de uma atualização que deve consumir menos combustível no motor Rolls-Royce T56 estão marcados para começar na Base Aérea de Edwards, na Califórnia, em julho. O motor modificado será montado num Lockheed Martin C-130H Hercules da Guarda Aérea Nacional dos EUA e visa demonstrar as qualidades de voo, bem como verificar as melhoras no desempenho. Os testes de vôo devem seguir até agosto.

Tom Hartmann, vice-presidente de negócios ao cliente da Rolls-Royce, disse que os testes de vôo marcam a fase de qualificação final para o kit de atualização, que está atraindo o interesse do mercado nacional e internacional dos operadores de C-13. O kit de “melhoria” T56-15 Series 3,5 foi originalmente lançado em resposta aos apelos do governo dos EUA para a redução da dependência do petróleo estrangeiro e, se adotado poderia ampliar a vida operacional do C-130H para até 2040.

Hartmann disse que o kit é projetado para reduzir o consumo de combustível em 8% e aumentar a vida útil do motor em geral em cerca de 10%. Em alternativa, como uma compensação contra a opção de vida estendida, acrescenta que a atualização pode também ser usada para gerar até 9% a mais de potência para o desempenho em condições quentes e altas. O desempenho global do kit foi recentemente verificado numa célula de teste em Indianapolis, disse Hartmann.

O kit, que pode ser montado durante um processo de revisão geral padrão, consiste em lâminas do compressor remanufaturadas, de um único cristal do primeiro estágio das lâminas de alta pressão da turbina, e de lâminas e palhetas aerodinamicamente redesenhados em toda a turbina de baixa pressão. De acordo com um relatório de análise da Força Aérea, a atualização Série 3,5 pode contribuir para as grandes economias a longo prazo de US$ 3,5 bilhões ao longo da vida útil da frota. A Rolls já declarou anteriormente que o kit também poderia ser potencialmente adaptado para a versão T56-14 que alimenta a aeronave de patrulha marítima P-3.

Os testes de vôo também vão avaliar se o motor pode atender as estimativas que aumentarão o alcance do C-130H com uma carga de 20.000 libras para até 3.180 nm, das atuais 2.845 nm de uma aeronave em condições idênticas equipada com um motor padrão série 3.

Fonte: Aviation Week

Nenhum comentário:

Postar um comentário