quinta-feira, 16 de agosto de 2012

MPF agenda vistoria do VANT da Polícia Federal para ação que apura inoperância


O Ministério Público Federal de Cascavel instaurou procedimento que prevê a inspeção, pelo Núcleo de Controle Externo, quanto à inoperância do VANT. Trata-se de um avião não tripulado de tecnologia israelense adquirido pelo governo federal por mais de R$ 8 milhões para atuação no combate ao tráfico e contrabando na fronteira, mas que desde o voo inaugural, realizado no último trimestre de 2011, não teria sido visto com frequência em operação.

A inspeção será feita nos dias 30 e 31 deste mês em Foz do Iguaçu e, possivelmente em São Miguel do Iguaçu, na base da Polícia Federal, no aeroporto que serve como hangar para a aeronave.

Informações extraoficiais dão conta que, em um ano desde a apresentação oficial da aeronave, ela teria deixado o solo no máximo três vezes sempre com operações que não resultaram em apreensões. Os motivos pelos quais isso estaria acontecendo vão além da falta de combustível – problema alegado no início do ano – e agora com o contrato de manutenção alertado pelo ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo. Esses entraves estariam nos valores, considerados pelo MJ, como altos demais para os reparos necessários.

As limitações também estariam na própria Polícia Federal, responsável por comandar o equipamento. Uma delas seria a falta de profissionais treinados para isso. Segundo relatos vindos da própria PF, os agentes que não conheciam o equipamento foram a Israel, mas não houve acompanhamento posterior.

Outra limitação estaria na falta de conhecimento das características da fronteira, já muitos agentes designados para aquela base teriam vindo de outras regiões do País. Há um mês, o procurador da República do MPF de Cascavel, Carlos Henrique Macedo Bara, alertou em entrevista que, caso o equipamento não esteja operando e apresentando os resultados como o previsto, a União poderá responder judicialmente.

Fonte: O Paraná / Juliet Manfrin

Nenhum comentário:

Postar um comentário