terça-feira, 28 de agosto de 2012

Rússia pretende desenvolver nova aeronave comercial


A United Aircraft Corporation (OAK em sigla russa) planeja construir um novo avião com 130-140 assentos. O avião será lançado no mercado entre 2016 e 2020. Este projeto é visto como um intermediário entre o Superjet-100 com uma capacidade de 110-115 passageiros e MS-21 com uma capacidade de 150-200 assentos.

A nova aeronave vai incorporar tecnologias avançadas desses dois projetos. Desta forma, o programa pode ser implementado em um tempo mais curto e com um elevado grau de compatibilidade com o avião de linha MS-21, comentou o presidente da OAK Mikhail Pogosian. Esta decisão põe fim a discussões sobre como desenvolver o segmento russo de aeronaves de curto e médio alcance.

O mercado para essa aeronave é atualmente o mais procurado do mundo, e para competir nele é necessário produzir aviões competitivos com o Airbus A320 e Boeing-737. E a OAK tem um novo projeto. De fato, o diretor da corporação disse o que já foi mencionado informalmente: de alguma forma, é necessário reunir duas famílias que desenvolvem Superjet e MS-21, destaca o vice-editor da revista Air Transport Observer Maxim Piaduchkin:

“É claro que em algum momento eles precisam se unir, ou seja, a OAK irá receber de forma unificada toda a gama de aviões de 95 a 210 lugares. Mas agora, os dois projetos são estruturalmente muito diferentes, bem como a composição dos fornecedores.”

A necessidade do mercado de aeronaves da família Superjet é mais de 800 aeronaves, e a capacidade do mercado para aviões de 130-140 passageiros é de 300-400 unidades, disse o diretor geral da empresa de consultoria Infomost Consulting Boris Rybak:

“O fabricante irá procurar o mesmo mercado que seria para Superjet-100. Ou seja, é principalmente o mercado interno, e os países com os quais a OAK têm relacionamento – ou seja, na Ásia, Oriente Médio, América Latina e África.”

O MS-21 é projetado para transportar passageiros e carga para as companhias aéreas nacionais e internacionais. Está prevista a criação de uma família de aeronaves com 150, 180 e 200 lugares. MS-21 será equipado com o motor da Pratt & Whitney, e no futuro a aeronave poderá receber o promissor motor PD-14, da Aviadvigatel. MS-21 foi concebido para ser inovador. O avião, por exemplo, terá uma asa composta. E neste projeto, os materiais compostos são usados em estruturas que receberão carga.

O uso das tecnologias MS-21 e Superjet vai ter um efeitos econôminos e encurtar o novo projeto. Se alguns subsistemas forem unificados, o OAK poderá comprar estas peças de fornecedores em maior quantidade e a preços mais baixos. O fator custo é muito importante, uma vez que empresas compradoras procuram poupar dinheiro em vista de crises econômicas recorrentes.

Fonte: Voz da Rússia

Nenhum comentário:

Postar um comentário