domingo, 9 de setembro de 2012

USAF inicia Avaliação de Utilidade Operacional do caça F-35A em Eglin


Oficiais da Força Aérea começam a sua Avaliação de Utilidade Operacional (OUE) nos caças F-35A Lightning II no dia 10 de setembro, um passo fundamental para o começo do treinamento de pilotos e de equipes de manuteção do Joint Strike Fighter para o serviço.

Dois pilotos da 33ª Ala de Caça na Base Aérea de Eglin, na Flórida, juntamente com dois pilotos de testes da Força Aérea, irão conduzir a avaliação prevista para durar cerca de 65 dias.

“O início da OUE é outro grande marco para a Força Aérea e do programa como um todo”, disse o coronel Andrew Toth, comandante da 33rd Fighter Wing. “Nós estamos preparando para este evento desde a chegada do nosso primeiro avião em julho do ano passado. Até agora, os homens e mulheres da 33FW provaram que podem executar com sucesso as operações de voo com segurança e eficácia, além da formação acadêmica.”

Desde a Liberação de Voos Militares em fevereiro, pela equipe de Sistema Aeronáuticos da Força Aérea, 11 experientes pilotos de caça verificaram as operações básicas do F-35A para que eles possam estar preparados para serem o primeiro quadro de militares para o caça de quinta geração.

O Major John Wilson e o Major Matthew Johnston, os pilotos da 33 FW que estão passando pela avaliação, está prontos para entrar num processo rigoroso, onde os dados serão coletados de todas as etapas da formação JSF – manutenção, sala de aula, simulador e vôos.

“Embora um progresso significativo tenha sido feito nas operações locais na área de Eglin, seria sem precedentes certificar-se o F-35 para o treinamento sem a realização de uma avaliação independente de eficácia e adequação para a missão”, disse o secretário da Força Aérea Michael Donley. “A Força Aérea está totalmente comprometida com o desenvolvimento seguro e deliberado do F-35 e da consideração cuidadosa de risco à medida que continuamos a amadurecer o F-35 em direção a capacidade operacional inicial”.

Os líderes da 33 FW estão confiantes de sua equipe de militares, da marinha, dos fuzileiros, de parceiros contratados e de civis que estão prontos para o próximo marco da nação no próximo meio século de domínio do poder aéreo.

“Estamos prontos para que o Centro de Avaliação e Teste Operacional da Força Aérea (AFOTEC) possa nos dar um olhar externo sobre a maneira como conduzimos a nossa missão”, disse Toth. “Na conclusão da avaliação nós devemos receber a aprovação do Comando de Treinamento e Eduação Aérea (AETC), que afirma que estamos pronto para o treinamento.”

Este marco para a Força Aérea vai ser um precursor para treinamentos de outros serviços e de aliados. A ala é responsável pelo treinamento de pilotos e de equipes de manutenção dos F-35. Inicialmente, 59 aviões e três esquadrões de vôo, um para cada serviço/variante de aeronaves, será estabelecido em Eglin.

A 33 FW voou mais de 200 missões de JSF, nas variantes A e B, aumentando a familiaridade do piloto e dos mantenedores com a aeronave, exercendo uma infra-estrutura logística e continuando a desenvolver a maturidade da aeronave. Estes iniciais voos de F-35A foram limitados, roteirizados e conduzidos dentro das restrições e estipulações feitas revisão de fevereiro.

Agora que a liberação foi atualizada para OUE, é necessário que o Escritório Conjunto do Programa e as opiniões formais de prontidão do AFOTEC sejam concluídas e as métricas e revisões de segurança do AETC totalmente apoiem a prontidão da Força Aérea para execução da OUE de forma segura e eficaz, disseram os oficiais do serviço.

Nenhum comentário:

Postar um comentário