sexta-feira, 2 de novembro de 2012

Airbus vence competição de novas aeronaves de reabastecimento para Força Aérea da Índia


A Airbus foi selecionado como a fornecedora preferencial (L1) sobre a Ilyushinda Rússia para fornecer seis aviões de reabastecimento aéreo A330 MRTT para a Força Aérea da Índia, num concurso avaliado em US$ 1 bilhão, de acordo com funcionários do Ministério da Defesa indiano.

Após as propostas comerciais serem abertas no início deste mês, o preço base do avião tanque russo Il-78 foi citado como menor do que o A330, mas quando avaliado em manutenção e custos de combustível, o Airbus foi o melhor valor, disse um oficial do Ministério da Defesa. O funcionário se recusou a fornecer as citações exatas dos lances, e disse que a empresa estatal russa ainda não havia sido informada oficialmente sobre a decisão.

Diplomatas russos confirmaram que não tinham sido informados da seleção do Airbus.

A Boeing se retirou da competição em 2010, deixando apenas os aviões A330 e Il-78 na competição. O concurso em 2010 também havia sido enviado para EADS, Lockheed Martin e para Antonov da Ucrânia. A Antonov não se classificou, e a Lockheed e a Boeing não participaram.

A Força Aérea Indiana está usando seis reabastecedores aéreos Il-78 comprados do Uzbequistão e planeja comprar 12 aviões adicionais, o que inclui os seis da Airbus.

Fontes do Ministério da Defesa disse que ainda não está decidido se uma nova competição será aberta para comprar os seis restantes, ou se uma encomenda repetida será feita ao vencedor da atual competição.

O concurso atual é por si só uma retomada de um concurso de 2006, em que o A330 terminou atrás do avião tanque Il-78, mas a Força Aérea da Índia preferiu o reabastecedor europeu. Quando o assunto foi enviado ao Ministério das Finanças da Índia, ele disse que a proposta mais baixa deveria ser a vencedora. A controvérsia levou à anulação do concurso.

O Ministro da Defesa A.K. Antony escreveu ao Parlamento indiano no dia 14 de dezembro de 2009, que o Ministério das Finanças tinha expressado reservas sobre a competição.

“A proposta de aquisição tinha progredido de acordo com o processo de adjudicação da Defesa em 2006 e, posteriormente, encaminhada ao Ministério das Finanças que manifestou algumas reservas relativas à competitividade das licitações e da razoabilidade do preço”, escreveu Antony.

A Força Aérea da Índia planeja implantar os reabastecedores na Base Aérea de Panagarh, no estado de West Bengal para ajudar a aumentar o alcance de seus jatos de caça Su-30MKI, o que permitiria que as aeronaves indianas pudessem entrar bem no interior da China, disse um oficial da Força Aérea.

Além de reduzir os custos de combustível, o reabastecedor da Airbus é otimizado para altas altitudes de cruzeiro e equipado com aviônicos avançados, disse o oficial indiano.

Fonte: Defense News

Nenhum comentário:

Postar um comentário