sábado, 24 de novembro de 2012

Caça chinês J-31 teria voado com motores russos



O segundo caça furtivo chinês que voou recentemente estava equipado com um par de motores russos Klimov RD-93. Um grande mockup do projeto, que foi apelidado de J-31 em relatórios não oficiais, estava em exposição no Zhuhai Airshow China, no começo do mês, rotulado como “um caça avançado multi-função para o mercado internacional de defesa”. Funcionários russos na mostra descreveram o fornecimento de turbofans militares para a China.

A especulação de que o novo caça usa propulsores russos foi confirmada por Vladimir Barkovsky, vice-diretor geral da Russian Aircraft Corp “MIG” e chefe de seu centro de engenharia em homenagem Artyem Mikoyan. Embora ele tenha mencionodao algumas falhas de projeto, Barkovsky deu uma avaliação geral globalmente positiva para o projeto do novo caça da AVIC. “Parece uma boa máquina, e apesar de, obviamente, ter algumas soluções de design de quinta geração já tentadas em caças norte-americanos, não é uma cópia, mas um design local bem feito”, disse ele.

Barkovsky expressa pesar pela decisão do Ministério da Defesa russo de não para desenvolver um caça de próxima geração leve, dizendo que ele pode fazer com que a Rússia perca este segmento de mercado distinto. Os mais recentes caças da RAC MiG, o MiG-29M2 e seu derivado exportável o MiG-35D, pertencem à geração 4++, explicou. Barkovsky disse ainda que os fabricantes de caças chineses alcançaram progressos notáveis “com durabilidade e reparabilidade de seus produtos”. Eles também melhoraram seu sistema de suporte pós-venda, que foi deplorável há alguns anos, acrescentou.
Sergei Kornev, chefe do departamento de aviação da Rosonboronexport, disse a jornalistas durante o Airshow China 2012, que, com a ajuda de assessores bielorrussos e de empresas especializadas, os fabricantes de caças chineses conseguiram criar um sistema viável de suporte pós-venda. Por seu lado, continua, a Rússia vendeu à China a documentação de revisão e apoio ao ciclo de vida dos motores da série AL-31F e ajudou a estabelecer um sistema que funciona bem para mantê-los úteis.

Kornev acrescentou que, durante a próxima reunião do Comitê Interestadual sino-russo de cooperação técnico-militar, que foi iniciado em 21 de novembro, Moscou e Pequim devem assinar uma série de acordos relativos aos direitos de propriedade intelectual. Kornev disse que isso deve facilitar ainda mais a transferência de conhecimento e experiência russa na esfera da aviação de combate e seu suporte pós-venda.

Os motores representam mais de 90 por cento de todas as exportações aeroespaciais russas para a China. “Nos últimos dois anos, nós assinamos grandes contratos com a China para várias centenas de motores adicionais dos tipos AL-31F, AL-31FN e D-30KP2. Os embarques estão agora em curso”, disse Kornev. Os motores D-30KP2 equipam o avião de transporte Ilyushin Il-76, enquanto a família AL-31 equipa os aviões de combate da série Su-27/30/34, e o derivado de J-11 chinês. Além disso, a Rússia entregou um melhor desempenho no AL-31FN Serie 3 e nos posteriores turbofans dos caças chineses J-10.

Perguntado se a Rússia tem ajudado a China no desenvolvimento do motor Tai Hang WS-10A, que é muito semelhante ao AL-31F, Kornev respondeu que especialistas russos não foram informados sobre este projeto e que a Rússia nunca entregou a documentação do projeto AL-31F para a China. Em relação ao RD-93, que a China usa principalmente para alimentar o caça JF-17 (FC-1), Kornev disse que a Rússia completou a entrega de 100 dos motores através de um acordo para 500. As negociações sobre o próximo lote estão em andamento. “Todas as formalidades jurídicas sobre as novas vendas estão acordadas; nossas negociações são puramente sobre aspectos comerciais, incluindo o preço”, ele insistiu.

Fonte: AIN Online

Nenhum comentário:

Postar um comentário