quinta-feira, 8 de novembro de 2012

Japão ainda considera compra de aeronaves Osprey para suas forças militares


As Forças de Autodefesa do Japão podem considerar a aquisição do tiltrotor de transporte V-22 Osprey fabricado nos EUA, mas não no futuro imediato, disse o ministro da Defesa Satoshi Morimoto na terça-feira.

“O Ministério da Defesa ainda não fechou completamente a porta a essa possibilidade”, disse Morimoto numa entrevista coletiva, respondendo a visões dentro do governo de que as Forças de Autodefesa devem adquirir tiltrotores Ospreys.

O Corpo de Fuzileiros Navais dos EUA possui 12 aeronaves do tipo na base de Futenma, em Okinawa. A implantação levantou um clamor público sobre preocupações com a segurança.

Morimoto disse que o ministério está investigando se a inclusão dos Ospreys no inventário das forças militares do país aumentaria a segurança nacional.

Morimoto disse que ainda não recebeu os planos detalhados sobre os voos de treinamento dos Osprey que os EUA estão programados para entregar até sexta-feira, quando os governadores do país se encontrarão.

Fontes disseram que outros funcionários do governo também estão defendendo que as forças de autodefesa adquiram Ospreys.

Em meio a protestos públicos sobre a implantação em Okinawa, aqueles que defendem os aviões estão aparentemente visando maiores esforços para o governo receber a aceitação do público.

Um funcionário do Ministério das Relações Exteriores disse na segunda-feira que os “Forças de Autodefesa devem possuir Ospreys”, enquanto aponta para a inconsistência da política do governo de não permitir os vôos da aeronave sobre Tóquio apesar de sua declaração de que eles são seguros para voar sobre o resto do país.

Os Ospreys poderiam ser utilizados para fins humanitários, como o alívio em situações de desastres, disse o oficial.

Quando os membros dos Ministérios de Relações Exteriores e da Defesa trocaram pontos de vista no início deste mês, o Ministério das Relações Exteriores sugeriu que equipar as Forças de Autodefesa com os V-22 “seria uma opção” para demonstrar sua segurança e confiabilidade, mas os funcionários da Defesa não estavam convencidos, segundo as fontes.

“Não há necessidade urgente de adquirir a aeronave”, disse um funcionário do Ministério da Defesa, citando o custo e o processo demorado de treinamento de pilotos. Cada Osprey custa cerca de 10 bilhões de iens (cerca de US$ 125 milhões).

Fonte: Kyodo News

Nenhum comentário:

Postar um comentário