domingo, 18 de novembro de 2012

Northrop Grumman e Marinha dos EUA demonstram controle de precisão e sem fio do X-47B durante manobras no solo


A Northrop Grumman Corporation e a Marinha dos EUA deram um primeiro passo crítico para demonstrar que o demonstrador do Sistema Aéreo Não Tripulado de Comabte (UCAS-D) X-47B pode ser manobrado de forma segura e sem fio na plataforma lotada de um porta-aviões. A Northrop Grumman é a principal contratada da Marinha dos EUA para o programa UCAS-D.

No início de novembro, a equipe completou com sucesso seus primeiros ensaios em terra de um novo dispositivo, de mão e sem fio chamado de Unidade de Controle de Exibição (CDU). Desenvolvido pela Northrop Grumman, o dispositivo irá permitir que os operadores do convés possam manobrar o X-47B por controle remoto no convés do porta-aviões.

A equipe demonstrou a capacidade da CDU para controlar a potência do motor do X-47B, para rolar a aeronave para frente, frear e parar, para usar seu trem de pouso no nariz para executar apertadas voltas, e com precisão manobrar a aeronave de forma eficiente até uma catapulta ou para fora da área de pouso após um pouso compelto num mockup do convés de voo do porta-aviões.

“A CDU é fundamental para integrar o X-47B perfeitamente nas operações da plataforma de transporte”, disse Daryl Martis, diretor de testes da Northrop Grumman para o programa UCAS-D. “Isso vai nos permitir mover a aeronave rapidamente e com precisão para a catapulta até o lançamento, ou para fora da área de pouso, após a recuperação. Ambas as atividades são essenciais para manter o ritmo do convés de vôo.”

Na prática, um operador de plataforma irá trabalhar em conjunto com o diretor do convés de vôo – também conhecido como um “camisa amarela” – para mover o X-47B com a ajuda da CDU para um local designado pela cabine de pilotagem. Em pé na frente da aeronave, o diretor vai usar sinais de mão tradicionais para indicar como, quando e onde a aeronave deve passar, da mesma forma que ele iria se comunicar com um piloto numa aeronave tripulada. O operador de convés vai ficar atrás do diretor e usar a CDU para duplicar as instruções do diretor com os comandos digitais para a aeronave.

De acordo com Martis, a CDU vai ajudar a simplificar e, de fato, permitir que muitas das operações de voo de ensaio necessários para os testes em terra do UCAS-D sejam adequados ao porta-aviões.

“Em vez de rebocar a aeronave para fora da linha de vôo, agora podemos levar o X-47B para fora do seu hangar, em seguida, usar a CDU para táxi até a pista, ou numa catapulta para o lançamento”, disse ele. “O uso da CDU é a forma mais eficiente em termos de tempo para deslocar o X-47B na catapulta ou para desengatar o gancho de parada após o pouso.”

O programa UCAS-D planeja realizar seu primeiro lançamento por catapultas do X-47B no final deste mês. O teste será seguido pela decolagem do X-47B a bordo de um porta-aviões, e usá-lo para validar o desempenho da CDU num ambiente embarcado.

Em 2013, o programa pretende demonstrar a capacidade do X-47B para operar com segurança a partir de um porta-aviões da Marinha, incluindo o lançamento, a recuperação, e as operações de controle de tráfego aéreo. O programa também planeja amadurecer as tecnologias necessárias para potenciais futuros programas de sistemas aéreos não tripulados da Marinha dos EUA.

Nenhum comentário:

Postar um comentário