sexta-feira, 16 de novembro de 2012

República Checa está com dificuldade para manter em operação suas aeronaves


Os militares da República Checa podem não ser capazes de utilizar algumas de suas aeronaves no próximo ano, porque não terão entre 30 e 50 milhões de dólares para os reparos necessários, disse o chefe-de-equipe Petr Pavel.

“Gostemos ou não, algumas aeronaves certamente terão que ficar fora de voo no próximo ano”, disse ele.

Em 2013, os militares provavelmente não serão capazes de usar os helicópteros de fabricação russa Mi-8 e Mi-17, o avião de transporte governamental Challenger ou as aeronaves de transporte Yakovlev Yak-40.

Pavel disse que alguns dos aviões acima não vão estar voando no próximo ano, porque os militares não têm dinheiro para os reparos de todos eles.

“Alguns destes quatro equipamentos são espécies em extinção”, disse ele.

Em 2014, os militares terão que lidar com o estado técnico dos helicópteros Sokol utilizados pelo serviço de resgate aéreo. Esses helicópteros vão precisar de uma cara revisão geral, disse Pavel.

Seis dos dez helicópteros Sokols estão operando e os quatro restantes estão à espera de reparos. A revisão geral terá um custo entre 5 e 6 milhões de dólares.

O pleno funcionamento do serviço militar de salvamento aéreo requer pelo menos seis helicópteros.

“Em 2014 e 2015 vamos ter que investir entre 30 e 35 milhões de dólares na revisão de seis helicópteros ou encontrar uma solução diferente”, disse Pavel, acrescentando que a declaração de uma competição para novos helicópteros era uma possibilidade.

Os caças Gripen, os aviões de transporte CASA e os modernizados helicópteros Mi-171S não precisam de qualquer reparo atualmente.

O orçamento do Ministério da Defesa para o próximo ano é de cerca de 2,1 bilhões de dólares. Dentro de seu esforço para economizar dinheiro, o ministério vai reduzir o número de comandantes entre os soldados e diminuir o número de seus empregados, tanto civis quanto militares.

O ministro da Defesa Alexandr Vondra advertiu contra o corte permanente do orçamento de defesa.

Pavel disse que o orçamento de defesa não pode cortar mais militares caso contrário não será possível manter a sua atual capacidade e cumprir as obrigações para com seus aliados.

Fonte: Czech News Agency

Nenhum comentário:

Postar um comentário