quarta-feira, 28 de novembro de 2012

Rússia nega que tenha perdido competições na Índia


A exportadora de armas estatal da Rússia Rosoboronexport negou nessa quarta-feira as reportagens da imprensa mundial de que dizem que os russos teriam perdido as competições para entrega de helicópteros de transporte pesado e de reabastecedores aéreos para a Força Aérea indiana.

“A Rosoboronexport nega as especulações da imprensa sobre a derrota da Rússia em ambos os concursos já que estas reportagens são falsas”, disse a empresa num comunicado.

“Os resultados dessas propostas não foram anunciados, e qualquer prematura especulação sobre o assunto induz erradamente o público e profissionais, tanto na Rússia como na Índia”, disse o comunicado.

As reportagens divulgadas na Índia e na Rússia, inclusive aqui e aqui no Cavok indicam que o modernizado helicóptero de carga pesada da Rússia Mi-26T2 Halo teria perdido para o Boeing CH-47F Chinook, enquanto o avião-tanque Il-78MK-90 perdeu para o Airbus A330 MRTT.

Os meios de comunicação indianos citaram a eficácia do custo e do serviço pós-venda como principais fatores que inclinaram a balança a favor das aeronaves dos EUA e da Europa, respectivamente.

A Rosoboronexport insiste, porém, que as aeronaves russas merecem ganhar as propostas, já que “elas não apenas possuem características únicas, mas também satisfazem todas as exigências indianas, incluindo numa elevada eficácia de custo.”

A posição tradicionalmente forte da Rússia no mercado de armas indiano foi recentemente prejudicada por uma concorrência feroz com as empresas norte-americanas e europeias e em falhas para cumprir vários contratos.

No ano passado, os exportadores de armas russas sofreram duas derrotas dolorosas em propostas indianos. A Rússia não ganhou o contrato para fornecer 22 helicópteros de ataque para Índia, que preferiu o modelo norte americano AH-64D Apache ao invés do russo Mi-28N.

Durante o programa de Aviões de Combate Médio Multimissão (MMRCA) anunciado pela Força Aérea da Índia para substituir os antigos MiG-21, o russo MiG-35 não chegou sequer às finais, onde o caça Eurofighter Typhoon perdeu um contrato avaliado em pelo menos US$ 10 bilhões para o jato de combate francês Dassault Rafale.

Fonte: RIA Novosti

Nenhum comentário:

Postar um comentário