sábado, 3 de novembro de 2012

Rússia pede permissão à França para usar aeronaves Il-38 a partir de base no Djibouti


A Rússia fez à França uma proposta para usar a base francesa no Djibouti para a implantação de duas aeronaves anti-submarinas Il-38 da Marinha Russa, conforme declarado pelo Ministro de Defesa da Rússia, Anatoly Serdukov, durante visita a Paris.

O ministro disse que essa implantação vai aumentar o agrupamento aéreo da base para 5 aeronaves. Atualmente, somente a França possui aeronaves desse tipo na base. Os aviões são utilizados, entre outras coisas, para as operações anti-pirataria na região.

Serdukov observou que a Rússia está interessada na cooperação técnico-militar com a França, em diferentes áreas, incluindo no “soldado do futuro”, no apoio de material e treinamento de pessoal.

O Il-38 é uma aeronave marítima derivada do Il-18. Ele é usado para reconhecimento e defesa anti-submarina. A aeronave pode voar em velocidades de até 650 km/h, em altitudes de até 10.000 metros e possui uma autonomia de 9.500 km.

De acordo com um relatório da Agência Marítima Internacional (IMB, divisão da Câmara de Comércio Internacional), 70 assaltos de piratas somalis ocorreram durante 9 meses de 2012. Diferentes fontes acreditam que o total de prejuízos na economia mundial causada pelos ataques de piratas varia de US$ 7 a US$ 12 bilhões por ano.

As embarcações russas com sucesso escoltaram mais de 130 navios comerciais na região. As forças da ONU e da União Europeia foram mobilizadas no Golfo de Aden, em 2008. Os navios da OTAN estão lá desde 2002, e mais tarde as forças da Rússia, China, Índia e outros países se juntaram a eles.

Nenhum comentário:

Postar um comentário