sábado, 29 de dezembro de 2012

Rússia prevê o início da produção da nova versão do An-124 em 2016


Durante a reunião operacional do governo da Região Ulyanovsk realizada no dia 24 de dezembro de 2012, o vice-primeiro-ministro da Rússia, Alexander Pinkov, informou que a produção da nova versão do avião de transporte pesado An-124 Ruslan poderá pode ser lançada em 2016 pela Aviastar-SP (Ulyanovsk), conforme reportagem do Kommersant-Samara.

De acordo com o vice-primeiro-ministro, o decreto do governo correspondente será elaborado em 1° de abril de 2013. Supõe-se que 60 aeronaves sejam encomendadas, incluindo 20 jatos destinados ao Ministério da Defesa.

Como explicado por Pinkov, esta informação foi anunciada pelo grupo de trabalho interinstitucional para o desenvolvimento do transporte aéreo militar na rede da reunião da comissão militar-industrial. Ele também observou que o decreto governamental irá estipular o financiamento de trabalhos de pesquisa e desenvolvimento do Ministério da Defesa e do Ministério da Indústria e Comércio. No entanto, ele não especificou a quantidade do financiamento.

“Temos de continuar as negociações com a empresa Antonov e convencê-los, porque não podemos protelar mais este trabalho. Se não iniciarmos o projeto podemos perder esta aeronave para sempre, porque a vida útil de todos os An-124s terminam em 2030. Nem a Rússia nem a Ucrânia irão se beneficiar com a perda desses jatos”, disse Alexander Pinkov. Segundo ele, é necessário completar a modernização das aeronaves An-124 civis e militares em 2013-2014, antes de lançar a produção da nova versão do jato.

A aeronave An-124 foi desenvolvida pelo Antonov Design Bureau baseado em Kiev. O jato realizou o primeiro vôo no dia 24 de dezembro de 1982. A maioria das características do Ruslan ainda são incomparáveis. É o maior avião de série no mundo, com a maior capacidade de transporte de carga em peso (120 toneladas). A produção em série do An-124 terminou em 1994. A necessidade de retomar a sua produção foi iniciada pela Volga-Dnepr (a maior operadora de An-124s) há cerca de 10 anos atrás.

Havia um monte de declarações de representantes do governo federal em relação retomar a produção da aeronave, no entanto, nenhuma decisão foi tomada. De acordo com as estimativas da Ernst & Young (feito em 2008), a pré-produção vai exigir cerca de US$ 137 milhões para retomar a fabricação de 40 aeronaves An-124s. O preço de cada aeronave será de cerca de US$ 150-160 milhões.

Nenhum comentário:

Postar um comentário