terça-feira, 26 de fevereiro de 2013

Primeiro KC-135 é retirado de operação na Força Aérea dos EUA


Após mais de 50 anos de serviço e 22,5 mil horas de voo, o primeiro Boeing KC-135 Stratotanker é retirado do serviço operacional com a Força Aérea dos EUA no dia 21 de fevereiro de 2013.

A aeronave fez uma passagem em alta velocidade sobre a pista da Base Aérea de Altus, Oklahoma, antes de seguir para o 309° Grupo de Regeneração e Manutenção Aeroespacial, na Base Aérea de Davis-Monthan, no Arizona, mais conhecido como “Boneyard“, onde aeronaves da Força Aérea dos EUA seguem para posteriormente poder fornecer peças para satisfazer a crítica necessidade de abastecimento das aeronaves em serviço, sem necessitar esperas prolongadas.

A aeronave, número de cauda 61-0312, voou pela primeira vez com a Força Aérea dos Estados Unidos (USAF) em 14 agosto de 1962, e foi remotorizada no dia 27 de junho de 1985. A aeronave voou 15 surtidas apenas em janeiro de 2013.

O Ato de Autorização da Defesa Nacional para o ano fiscal de 2013 autorizou a redução da estrutura de força da frota de KC-135 em 16 aeronaves.

O Escritório do Programa KC-135 na Base Aérea de Tinker, Oklahoma, utiliza uma Ferramenta de Análise de Condições da Frota para definir cada aeronave em vários critérios, como o número de horas de voo, a severidade de uso, integridade estrutural da fuselagem / asa / célula de combustível, e a data de vencimento para a próxima manutenção programada em depósito. A Divisão Estratégica da Força Aérea identificou o 61-0312 como pronto para se aposentar no dia 19 de fevereiro de 2013.

A missão da 97ª Ala de Mobilidade Aérea é “Forjar as forças de mobilidade de combate … implantando guerreiros aviadores”, sendo o primeiro local definido para o treinamento de mobilidade aérea das aeronaves KC-135R Stratotanker e C-17 Globemaster III.

“Os KC-135Rs atribuídos na Base Aérea de Altus voam cerca de 1.820 missões por ano fiscal, o que dá em média 91 surtidas por aeronave”, disse Joey Dauzat, encarregado pelas surtidas de voo com o 97° Escritório de Manutenção da ala 97. “As horas de voo estão em cerca de 7.030 horas por ano fiscal, que dão uma média de 351 horas de voo por aeronave. Todas as saídas obrigam a ter um operador de lança, de modo que em cada surtida voada uma surtida de treinamento de operador é realizada.”

A aposentadoria do 61-0312 não deverá afetar negativamente a missão da 97ª Ala de Mobilidade Aérea.

“Nós temos um número suficiente de KC-135Rs para apoiar os requisitos de voo sem o 312″, disse Carl Martin, vice-diretor de manutenção da ala. “Na verdade, ter um avião tanque a menos poderá ser benéfico, pois nos permitirá voar com os restantes um pouco mais frequentemente. Até um certo ponto, o desempenho dos KC-135Rs melhora quando eles voam mais.”

No entanto o 61-0312 não verá seu fim ainda, pelo menos nos próximos anos, pois ele será usado para manter voando a frota de KC-135 e de outras aeronaves do Departamento de Defesa através do fornecimento de suas partes, ou será colocada em armazenamento para uma potencial reactivação, se necessária.

Texto: Airman 1st Class Klynne Pearl Serrano / 97th Air Mobility Wing, Public Affairs

Nenhum comentário:

Postar um comentário