domingo, 17 de fevereiro de 2013

USAF busca informações sobre como conectar caças de 4ª e 5ª geração


A Força Aérea dos EUA está coletando informações sobre um “gateway de comunicações” que um dia seria capaz de vincular digitalmente os caças de quarta e quinta gerações dentro de um ambiente de ameaças altamente contestado.

“Este RFI [pedido de informação] serve para buscar informações sobre a disponibilidade de um sistema em um Nível de Prontidão de Tecnologia (TRL) de 6 ou acima, que permita que os caças de 5ª geração digitalmente possam se conectar e trocar dados com caças de 4ª geração e outras plataformas quando operando em regiões altamente contestadas”, diz um documento da Força Aérea.

A USAF espera, eventualmente, obter um sistema que iria “melhorar a consciência do campo de batalha através do compartilhamento de dados de alvos entre sensores, a fim de obter em tempo real Imagem Tática/Imagem Operacional (CTP/COP – Common Tactical Picture/Common Operational Picture),” conforme escrito na RFI. O link de dados também aumentaria a capacidade de sobrevivência das aeronaves amigas com a melhoria do apoio mútuo e na redução de incidentes fratricidas. Ele também “aumentaria a eficiência de pontaria através do intercâmbio de informação de engajamento diminuindo as despesas de armas redundantes”, diz o documento. Ele também deve fazer a combinação entre caças de quarta e quinta gerações mais “letais” no combate.

A USAF quer que o sistema seja instalado numa plataforma existente com Link 16, que pode ser usada a partir de distâncias próximas o suficiente de um espaço aéreo altamente contestado se conectando com os Lockheed Martin F-22 Raptors através do Intra-Flight Data Link (IFDL) e, eventualmente, os caças Lockheed F-35s através do link de dados multifuncional avançado (MADL). Já que o novo “gateway de comunicações” estará operando com caças de quinta geração, terá de ser equipado com características multi-nível de segurança, informa a RFI.

A RFI vem junto com a informação do Scientific Advisory Board da USAF que está investigando como manter comunicações seguras durante a operação contra um ambiente de ameaças anti-accesso/área de negação.

Fonte: Flightglobal

Nenhum comentário:

Postar um comentário