quarta-feira, 27 de março de 2013

Dassault diz que Malásia poderá montar caças Rafale se escolher o jato francês


A França comentou nessa terça-feira sobre a possibilidade de fabricar seu avião de caça Rafale na Malásia se a nação escolher o avião como seu novo jato de combate.

“Estamos considerando uma linha de montagem na Malásia”, disse Eric Trappier, executivo-chefe da fabricante do Rafale, a Dassault Aviation, em entrevista por telefone a partir do show aéreo Langkawi, no norte da Malásia.

A Malásia quer comprar 18 caças de combate para substituir os seus antigos jatos russos Mig-29, com o Eurofighter, o Boeing F-18 e o Gripen da Saab também na corrida.

O Rafale multi-função, que entrou em serviço na Força Aérea Francesa em 2001, pode realizar missões de ataques ar-terra ou ar-mar, reconhecimento, interceptação aérea ou de ataque nuclear.

A França está disposta a fazer sua primeira venda externa do Rafale, que tem lutado para encontrar compradores, para apoiar um projeto que tem custado dezenas de bilhões de euros.

A Índia selecionou o Rafale, com a maioria dos 126 caças que planejam comprar previstos para serem construídos na Índia se o contrato final for assinado este ano, como está sendo aguardado.

A Malásia está buscando empresas locais para poder participar na fabricação, e Trappier disse que a Dassault está realizando um considerável trabalho para definir os fornecedores locais para o programa Rafale.

A Dassault já assinou acordos com as empresas da Malásia CTRM, Zetro Aeroespacial e Sapura, observou ele.

Dois caças Rafale foram enviados para o show aéreo de Langkawi, realizando vôos de demonstração.

Fonte: AFP

Nenhum comentário:

Postar um comentário