quarta-feira, 21 de agosto de 2013

Rússia concorda em vender 38 helicópteros militares para o Sudão

O Sudão e a Rússia selaram dois acordos desde 2011 para a venda de duas dezenas de helicópteros de ataque Mi-24 e 14 helicópteros de transporte MI-8, informou nessa terça-feira (20/08) um jornal russo.

O primeiro lote da remessa foi entregue em 2012, de acordo com um contrato entre os dois países no ano anterior, e a segunda entrega está marcada para entrega este ano, dentro de um segundo acordo, informou o diário Vedomosti, citando duas fontes da aviação.

Um analista pesquisado pelo Vedomosti definiu que o valor do contrato está situado entre US$ 150 – US$ 200 milhões, o que inclui a manutenção e certas atualizações para os helicópteros.

Mas condições foram anexadas pela Rússia para a venda, incluindo a de não usá-lo na região rebelde de Darfur, no Sudão, imposta pela resolução do Conselho de Segurança das Nações Unidas (CSNU) que proíbe os voos militares lá.

A Rússia já informou o Comitê de Sanções das Nações Unidas sobre a venda pendente através de uma carta enviada em fevereiro passado, disse o Vedomosti.

Não é ilegal o fornecimento de armas a Cartum, a capital sudanesa, mas os estados são obrigados a solicitar as garantias chamadas de “uso final” pelo governo sudanês de que as armas não vão acabar em Darfur.

Mas grupos de direitos humanos afirmam que o Sudão utiliza rotineiramente armas vendidas pela Rússia, China e Bielorrússia em Darfur.

Numa questão relacionada, uma fonte próxima à agência russa para vendas de defesa conhecida como Rosoboronexport, afirmou que o Sudão também está negociando a compra de 18 antigos caças indianos Su-30K que estão armazenados numa fábrica de reparo de aeronaves na Bielorrússia.

Fonte: Sudan Tribune

Nenhum comentário:

Postar um comentário