sábado, 28 de setembro de 2013

Exportação do J-10 só depende de licenças

O J-10 é um caça de terceira geração totalmente fabricado na China, mas ainda não foi exportado, devido à falta de licença emitida pelas autoridades chinesas.

Ma Zhiping, vice-presidente da estatal China National Aero-Technology Import & Export Corporation, comentou, em resposta a relatos da mídia exterior, que apenas um J-10 foi exportado para o Paquistão. Segundo ele “A obtenção de uma autorização nacional antes de exportá-lo é prioridade”.

O J-10 começou a ser projetado em 1984. Quatorze anos depois voava o primeiro protótipo. O jato entrou oficialmente em serviço em 2006.

“Podemos antecipar boas perspectivas de exportação, já que muitos potenciais clientes têm demonstrado grande interesse nele e no seu preço. Muitos asiáticos, Africanos e países da América Latina, que incluem usuários de caças chineses, da Era soviética e francesa, formam um uma clientela enorme”, disse Ma.

As chances de que a exportação será permitida e que certamente serão significativas. A exportação melhoraria a competitividade de mercado da China no comércio internacional de armas. Como os EUA e a Rússia estão ansiosos para promover seus jatos de terceira geração (F-15, F16, Su-27 e Su-30) em todo o mundo, enquanto os clientes da China, em contrapartida, ainda estão usando a segunda geração (J-7 ou J-8), disse Zhongping Song, um analista militar.

“A China tem agora aviões mais avançados (J-11 e J-11B) e está desenvolvendo a quarta geração (J-20 e J-31). Exportar nossa tecnologia não levará a qualquer vazamento”, observou Song, acrescentando que também seria eficiente para testar a maturidade da tecnologia e produtos através da exportação.

FONTE: Global Times

Nenhum comentário:

Postar um comentário