quinta-feira, 9 de janeiro de 2014

14 Alenia Aermacchi C-27Js transferido para Guarda Costeira dos EUA

 A Guarda Costeira dos EUA (USCG em inglês) vai assumir o controle do último dos aviões de carga C- 27J da Força Aérea  dos EUA (USAF em inglês), colocando um fim no destino das aeronaves, um caso que se arrasta faz um ano (ver link no final deste post).

Os aviões serão transferidos para a Guarda Costeira dentro de seis a 12 meses , com o objetivo de cumprir “missões vigilância de médio alcance da USGC, como a patrulha marítima , drogas e imigração ilegal, resposta a desastres e busca e salvamento “, segundo um comunicado de imprensa da empresa italiana Alenia Aermacchi.

O C -27J é um avião de transporte tático projetado para uso em pequenos aeródromos. A Força Aérea inicialmente planejava adquirir 38 aviões antes de decidir que eles eram muito caros para operar. Essa decisão desencadeou uma tempestade de controvérsia no Congresso, onde os membros estavam ansiosos para que as unidades da Guarda Aérea Nacional recebessem as plataformas.

A Força Aérea acabou adquirindo 21 aviões. Em novembro, sete deles foram transferidos para o Comando de Operações Especiais (USOCOM). O Serviço Florestal dos EUA também apresentou um pedido para ter os aviões.

O Congresso confirmou que o Serviço Florestal não vai perder completamente. De acordo com o “National Defense Authorization Act” de  2014, aprovado no mês passado, a transferência do C- 27J para o Serviço Florestal depende da conclusão da transferência de sete C-130 da Guarda Costeira para a Força Aérea. Caberá à Força Aérea arcar com o custo da modificação dos aviões em aeronaves de combate a incêndios para o Serviço Florestal.

O orçamento também exige que o secretário da Força Aérea “forneça aos Comitês de Serviços Armados do Senado e da Câmara dos Deputados, o mais tardar em 30 de janeiro de 2014 , um relatório trimestral ou briefing sobre o custo, cronograma de execução e eventos notáveis relacionados com as transferências de aeronaves e modificações necessárias no contexto da prestação”.

FONTE: DefenseNews

Nenhum comentário:

Postar um comentário