sexta-feira, 10 de janeiro de 2014

Índia e Rafale podem assinar em breve contrato de 38 caças

 Com as eleições nacionais na Índia se aproximando, começam a surgir especulações sobre contratos militares como o MMRCA (medium multi-role combat aircraft) e o MRTT (multi-role tanker transport) que podem ser assinados em breve. No entanto, o acordo para o MMRCA pode cobrir apenas o fornecimento de 18 aeronaves Dassault Rafale provenientes da linha de produção francesa, deixando a continuação das negociações para os restantes 108 para o próximo governo. A Índia anunciou a escolha do Rafale em janeiro de 2012. Mas as negociações posteriormente atingiram um impasse sobre offsets, transferência de tecnologia e o papel da Hindustan Aeronautics (HAL).

Atrasos na aquisição estão cobrando um preço no setor operacional da Força Aérea Indiana (IAF). Isso resultou em pressão sobre o Ministério da Defesa para aumentar o ritmo de celebração dos contratos pendentes. Segundo a legislação local, nenhum contrato pode ser assinado em menos de 45 dias da eleição. A eleição nacional está prevista para ocorrer em março, também no final do exercício financeiro.
“Se o contrato for assinado em breve, será nada mais do que um negócio de papel que garante o compromisso do governo. Podemos esperar atrasos após as primeiras 18 aeronaves, uma vez que os caças restantes serão construídos sob licença com transferência de tecnologia. O governo quer garantir que o contrato seja escrito de forma que a [escolha básica] não possa ser questionada por governos posteriores”, disse um funcionário associado ao projeto. Um funcionário do Ministério da Defesa observou que a assinatura do contrato MMRCA iria restaurar a confiança internacional das OEM, que foi abalada pelo recente escândalo sobre a compra do AW101.

Após longas discussões, a HAL está propensa a concordar com a Dassault sobre a questão dos fornecedores Tier 1, incluindo aeroestruturas.

Um funcionário da IAF disse que um novo avião de reabastecimento é prioridade. Uma reunião entre o Ministério da Defesa indiano e a Airbus Defesa sobre o MRTT que foi adiado no ano passado, após a morte do funcionário sênior, foi remarcada para meados de janeiro, segundo uma fonte da AIN. O A330MRTT também pode ser usado como um transporte de tropas (300 soldados), além de uma carga útil de até 45 toneladas, ou mesmo acomodar até 130 macas para evacuação médica, o que traria benefícios imediatos para a IAF. “Este contrato não tem conotações políticas”, disse o oficial da IAF .

FONTE: AIN Online

Nenhum comentário:

Postar um comentário