terça-feira, 1 de julho de 2014

Teriam os destroços do Voo MH370 da Malaysia Airlines sido encontrados?

 Na época do desaparecimento do Voo MH370, o OH publicou uma série de artigos sobre o ocorrido, devido ao fato de ter sido levantado por muitos na Internet de que o misterioso desaparecimento foi causado por um OVNI.

Agora, um artigo publicado no portal russo Ridus, Valentín Degtiariov alega que o voo MH370 não caiu no oceano Índico, mas sim na Birmânia:


- Depois da interrupção da última comunicação por rádio, o avião mudou de rumo.

- Os radares de defesa aérea da Talilândia detectaram o avião e registraram sua saída em direção ao território birmanês.

- Sinais do avião foram perdidos, e se especulou que tivesse caído no Mar de Andaman.   Nos dias 10 e 11 de março, buscas foram iniciadas nesta região, mas nada foi encontrado.

O russo buscou rastros da aeronave desaparecida em mapas e fotografias de satélite de alta resolução, tiradas entre os dias 7 e 31 de março de 2014.  Nos mapas GoogleEarth ele esteve observando a área da zona de busca da aeronave e se deparou com uma imagem interessante datada de 29 de março.

“Encontrei provas que indicavam que o avião sofreu um grande acidente“, destacou o homem.

Ele afirma que o lugar do incidente está situado na Birmânia, a uns 800 quilômetros da fronteira com a Tailândia.  Ao que parece, o Boeing se chocou contra uma montanha de uns 2.000 metros de altura.  No artigo, Degtiariov oferece detalhes a respeito dos fragmentos que encontrou nas imagens, assim como do tamanho aproximado.  Ele também indica o que parece ser a turbina de um avião.
“Passei muito tempo analisando as fotos deste local.  Há fotos de 2009, 2011 e de fevereiro de 2014, mas em nenhuma delas existe nada que chama a atenção.    No entanto, nas imagens de 20 de março de 2014 tudo está ali“, explica Degtiariov.  Além disso, ele conseguiu as imagens de satélites russos da noite de 8 de março de 2014, dia em que o MH370 desapareceu.  Neste mesmo ponto da Birmânia pode-se observar sinais de fogo e fumaça.

Segundo Valentin Degtiariov, as coordenadas do achado são as seguintes:

Asa e fuselagem:
13 ° 31’48 .23 “N 99 ° 10’58 .99″ E
13.540141,99.177560

Um detalhe da fuselagem:
13 ° 31’44 .47 “N 99 ° 10’59 .47″ E

Restos do avíão:
13 ° 31’46 .91 “N 99 ° 10’58 .38″ E
Degtiariov escreveu para as autoridades da Birmânia, Tailândia e Malásia, pedindo-lhes que examinem local.

“Não custa nada a eles irem até lá de helicóptero, mas não recebi resposta alguma“, lamentou o russo, o qual disse que somente o serviço de busca australiana entrou em contato com ele.

“O governo da Birmânia, Malásia e Tailândia não querem fazer nada, mas e se eu estiver certo?“, enfatiza ele.
Fonte:  Ridus

Nenhum comentário:

Postar um comentário