terça-feira, 2 de setembro de 2014

Suécia confirma compra novos caças Gripen

  Na sexta-feira, 29 de agosto, foi confirmado que a Suécia vai prosseguir com a compra da nova geração do caça Saab Gripen, apesar da Suíça ter saído do acordo de financiamento mútuo em maio. A informação, publicada em matéria do site Defense News (com informações da AFP),  foi dada pela ministra da Defesa da Suécia Karin Enstrom à TV pública SVT.

Enstrom afirmou que “acontecimentos globais e as ações da Rússia na Ucrânia, com tropas no país, ressaltaram a importância de continuar com a aquisição do caça de nova geração. Isso também se refere à nossa segurança e capacidade de defesa no futuro.”

Em ocasiões passadas, o governo sueco havia dito que apenas compraria o JAS 39 Gripen E, atualmente sendo desenvolvido pela empresa aeronáutica sueca Saab, se algum outro comprador dividisse os custos de desenvolvimento. A Suíça pretendia comprar 22 caças do mesmo modelo que os 60 pretendidos pela Suécia, e dividiria os custos de desenvolvimento, mas eleitores suíços rejeitaram o acordo em um referendo realizado em maio.

A TV sueca SVT estimou que os custos adicionais para a Suécia seriam de “vários bilhões de coroas” (ou várias centenas de milhões de euros), afirmando também que a decisão tem o apoio do principal partido de oposição do país, que atualmente lidera as pesquisas para as eleições gerais marcadas para o próximo mês. As entregas dos 60 novos caças estão programadas para início em 2018.

A notícia repercutiu no jornal suíço 24 heures, o qual acrescentou a informação da ministra Enstrom de que “o governo decidiu ontem” (na quinta-feira) a decisão de assumir os custos que caberiam à Suíça no desenvolvimento dos caças. Ela não quis detalhar esses custos, e afirmou que, apesar de seu governo desejar acrescentar 10 caças Gripen E aos 60 encomendados, esse acréscimo só será decidido pelo Poder Executivo após as eleições. O jornal também destacou o fato de que os Social Democratas, oposicionistas que provavelmente vencerão as eleições de 14 de setembro, concordaram com a decisão de arcar com os custos que os suíços seriam responsáveis.

O jornal suíço, cuja reportagem era baseada em informações da AFP, finalizou a matéria citando o Brasil, que selecionou “um outro modelo do Gripen, o NG”, em dezembro do ano passado, numa competição que incluía o caça francês Dassault Rafale e o americano Boeing F/A-18 Super Hornet.

O site da fonte original da notícia, a TV SVT (texto em sueco), trouxe alguns detalhes adicionais ao que foi publicado pelo site Defense News e o jornal 24 heures. Segundo a reportagem, a decisão sobre a compra precisou ser tomada agora devido a um prazo estabelecido por acordo entre a Saab e o governo, que iria até 31 de agosto. A ministra Enstrom prometeu dar as informações sobre como será financiado pela Suécia esse custo que caberia aos suíços, na divulgação do orçamento no próximo trimestre, mas adiantou que os valores não serão provenientes de cortes em outros setores de defesa, e sim de um reforço orçamentário.

Quanto à questão das futuras eleições na Suécia, a reportagem da STV ressaltou que o partido Social Democrata (à frente nas pesquisas) está por trás da decisão de se comprar os novos caças, mas seu provável parceiro no eventual próximo governo, o Partido Verde, é contra. O Partido de Esquerda não quer investir numa nova geração de caças. Porém, cancelar acordos já existentes poderia trazer altos custos, tornando impossível voltar atrás.
Stefan Löfven, dos Social Democratas, admitiu que a questão coloca o partido em rota de colizão com a esquerda e os verdes. Porém, Löfven afirmou: “Eles têm uma opinião diferente, mas nós insistimos que a Suécia precisa ampliar sua capacidade militar.”

Fonte: Defense News

Nenhum comentário:

Postar um comentário