sexta-feira, 28 de novembro de 2014

Uruguai seleciona F-5 como seu futuro caça

   Segundo reportagem publicada no site Infodefensa nesta quarta-feira, 26 de novembro, em recentes manobras realizadas entre o Exército e a Força Aérea Uruguaia foi confirmada a seleção, por esta última, do jato F-5 como seu futuro avião de caça. A confirmação foi feita pelo Ministro da Defesa do Uruguai, Eleuterio Fernández Huidobro.

Foi manifestado que jatos mais novos como o Yak-130 e seus “irmãos”, o italiano M-346 e o chinês L-15 (jatos treinadores de alto desempenho) são plataformas ideais para o Uruguai, a escassez de recursos levou a uma decisão pelo F-5 Tiger II, permitindo adquirir mais exemplares por um custo menor.

Também foi assegurado, segundo a reportagem, que no próximo orçamento se concentrarão verbas para a aquisição de materiais tanto para a Força Aérea quanto para a Armada, instituições que viram postergadas suas aspirações nas últimas décadas.

Porém, para a Força Aérea Uruguaia (FAU) a definição do avião é um primeiro passo que soluciona apenas uma parte do problema, pois toda a aviação de combate precisa de substituição urgente. Esse processo sofre com a dificuldade de manter em voo os cinco exemplares de bimotores turboélice de ataque FMA A-58 Pucará da Força Aérea, que em breve deixarão de voar se não houver uma troca de motores e manutenção geral das células.

Alternativas

Estão sendo analisadas opções para resolver a situação. A primeira seria concentrar o Esquadrão Aéreo 1 de Ataque e o Esquadrão Aéreo 2 de Caça numa única unidade de combate, que combine todo o material existente e a ser adquirido – no caso, os atuais jatos  A37B e os futuros caças F-5II.

A segunda opção seria comprar um substituto para o Pucará, que poderia ser aeronaves Embraer Tucano ou Super Tucano, oferecidas em várias oportunidades. Mas, também para isso, o fator econômico será decisivo.
Em outra reportagem publicada nesta quarta, o site Infodefensa informou que, finalmente, em 27 de novembro será assinada a transferência de três jatos Cessna A-37B Dragonfly do Equador para a Força Aérea Uruguaia. Uma delegação da FAU voará ao Equador para receber o material e fazer o traslado ao Uruguai.

Os três aviões foram considerados em excelentes condições segundo técnicos uruguaios, e serão acompanhados de um significativo volume de peças de reposição para a frota que o Uruguai possui da aeronave. Isso permitirá, segundo a reportagem, colocar em condições de voo alguma aeronave adicional.

O A-37 é hoje o principal meio de caça e ataque da FAU, e sua disponibilidade estava baixa por falta de peças de reposição, cada vez mais difíceis de encontrar no mercado internacional. Também foi ordenada a prontificação de vários motores desse tipo de aeronave, numa empresa americana, o que também ajudará a manter em condições de voo um maior número de exemplares de A-37 do Uruguai.

Fonte: Infodefensa

Nenhum comentário:

Postar um comentário