sábado, 9 de janeiro de 2016

Boeing vai manter os T-38C enquanto a USAF aguarda o T-X

Por James Drew

A Boeing venceu uma concorrência para assegurar um contrato de 10 anos de US$ 855 milhões para aviônicos e apoio logístico dos Northrop T-38C Talon, mantendo o seu envolvimento com a aeronave amplamente utilizada até o ano 2026, quando a Força Aérea dos Estados Unidos fará sua substituição pelo treinador de combate T-X.

A Boeing completou um grande upgrade na suíte de aviônicos nos T-38A/B em 2007, convertendo 463 Talons para o padrão T-38C, substituindo componentes analógicos com uma nova cabine digital. A Northrop Grumman, enquanto isso, fez a substituição das asas ao longo da última década, enquanto a manutenção geral do treinador supersônico de 55 anos é gerida organicamente pelo Complexo Ogden Air Logistics da Força Aérea na Hill AFB, em Utah.

Enquanto isso, as atualizações estruturais para mais de 150 T-38 através da modificação estrutural “Pacer Classic III” estão sendo realizadas pelos mantenedores, prolongando a vida do venerável treinador até 2029.

Este novo contrato prevê “a integração de componentes aviônicos e apoio logístico do contratante” para os restantes 456 jatos T-38 e sua infra-estrutura associada de treinamento em terra, que é usada pelo Air Education and Training Command e escola de piloto de testes da Marinha na Naval Air Station Patuxent River, em Maryland. Vários T-38 também apoiam o desenvolvimento de armas e testes.

De acordo com o anúncio do contrato, duas propostas foram apresentadas. O segundo ofertante não foi nomeado e não se sabe ainda se esse rival irá considerar o protesto contra a seleção da Boeing.

A T-38C suporta o treinamento de pilotos dos EUA e da OTAN, preparando oficiais destinados aos caças da linha de frente e bombardeiros, incluindo o F-15, F-16, B-1B, A-10 e F-22.

Equipes da indústria, incluindo Boeing/Saab, já estão se preparando para substituir o T-38, de olho em um requerimento da Força Aérea para 350 aviões de alto desempenho que vai preparar os pilotos de combate para jatos quinta e sexta geração, incluindo o Lockheed Martin F-35.

Fonte/Tradução: flightglobal.com / aereo.jor

Nenhum comentário:

Postar um comentário