quarta-feira, 10 de fevereiro de 2016

Antonov encerra suas atividades após 70 anos de história

Antonov AN-225 Mriya (Foto www.sas1946.com).

A Antonov foi uma das maiores vítimas da crise entre a Ucrânia e a Rússia deflagrada após a anexação da Crimeia por Moscou. As autoridades da Ucrânia confirmaram a liquidação da Antonov Desing Bureau e a fusão de seus principais ativos ao conglomerado estatal Ukroboronprom.

A informação foi confirmada pelo Ministério do Desenvolvimento Econômico da Ucrânia. Segundo o governo, a integração se deve à crise financeira vivenciada pela Antonov. Se no passado a empresa se destacou pelo desenvolvimento e produção de gigantes como o An-22, o An-124 e o An-225, atualmente o fabricante vinha sofrendo com a falta de interesse do mercado por seus produtos.

Focada nos últimos anos em aeronaves de pequeno e médio portes, a Antonov vinha sofrendo uma série de reveses na venda de seus aviões regionais. Cada série conquistou entre 30 e 40 pedidos, em média. Já o cargueiro médio militar An-70, após quase 22 anos de desenvolvimento, não conseguiu obter nenhum pedido por parte das forças armadas da Rússia e da Ucrânia. Além disso, o programa consumiu valores consideráveis durante seu desenvolvimento, que exigiram diversas mudanças no projeto ao longo dos anos. O programa também previa a montagem dos exemplares russos em parceria com a KAPO (Kazan Aircraft Production Association), na planta de Kazan, na Rússia.

Em outubro de 2010, a Antonov e a russa UAC assinaram um acordo para formar uma empresa conjunta focada em marketing, vendas, design e produção de aviões militares, civis e de carga, bem como modificar antigos modelos Antonov. A parceria também foi desfeita com a escalada das tensões entre ambos os países.

Além da Antonov, diversos fabricantes aeroespaciais ucranianos enfrentam o mesmo problema em relação a seus acordos com os russos. As empresas mais afetadas são as localizadas no leste e no sul da Ucrânia, que possuíam diversos acordos de exportação com a Rússia, e também são dependentes de capital russo.

Fonte: aeromagazine.uol

Nenhum comentário:

Postar um comentário