quinta-feira, 3 de março de 2016

BOB HOOVER: O piloto dos pilotos!

Bob Hoover (Foto: www.usatoday.com).

Já assistiu o filme Velocidade Mortal? É um filme meio “marmelada”, mas tem uma cena no final que é meio fichinha: o prisioneiro foge usando uma aeronave do próprio inimigo! Ooohhh, ai você me diz: “- Ah, mas isso só acontece em filmes! Que marmelada!” (eu disse isso quando assisti ao filme). Porém, isso já foi cena da vida real, você sabia?
Bob Hoover no Spitfire (Foto: www.difreeze.com).

Robert “Bob” Hoover, ou simplesmente Bob Hoover, foi o protagonista dessa cena. Em 1944, seu avião (Spitfire) foi abatido, devido a um mau funcionamento, por um Focke Wulf FW 190 ao longo da Costa do sul da França. Ele foi preso e permaneceu por 16 meses na pisão Stalag Luft I em Barth, na Alemanha. Por incrível que pareça, Hoover conseguiu escapar da prisão, roubou um caça alemão FW 190 e voou para terras seguras na Holanda.

Atualmente, Bob é conhecido como o “Piloto dos pilotos”, pois revolucionou a dinâmica do voo acrobático e sempre é lembrado em círculos de aviação. Hoover aprendeu a voar em Nashville Berry, enquanto trabalhava em um supermercado local para pagar o treinamento de voo. Ele se alistou na Guarda Nacional Tennessee e foi enviado para treinamento de pilotos com o Exército. Após a Guerra, Hoover foi designado como piloto de teste no campo de Wright. Ele fez amizade com ninguém menos que Chuck Yeager, o qual nomeou Hoover como piloto substituto no voo supersônico do Bell X-1.
XFJ-2 Fury (Foto: static.thisdayinaviation.com).

Em 1948, Hoover deixa a USAF e se dedica a trabalhos civis. Após uma breve passagem pela Allison Engines Company, Bob se tornou piloto de teste da fabricante North-American Aviation (NAA), onde o mandaram para a Coreia, para instrução dos pilotos em como mergulhar para o ataque com os caças F-86 Sabre. Na Coréia, Hoover voou muitas missões de combate bombardeio, porém sem permissão para um combate ar-ar. Durante os anos 1950, Hoover visitou muitos da ativa, reserva e guarda nacional para demonstração da capacidade do avião para os seus pilotos. Hoover voou testes de voo sobre o FJ-1 "Fury", F-86 "Sabre", e o F-100 "Super Sabre".
Hoover Mustang N2251D (Foto: www.airportjournals.com).

No início de 1960, Hoover começou a voar o North American P-51 Mustang em shows aéreos de todo o país. O Hoover Mustang (N2251D) foi comprado pela North-American de Cavalier Aircraft Corp. Dave Lindsay em 1962. Um segundo Mustang (N51RH), mais tarde chamado de "Ole Yeller", foi comprado pela norte-americana Rockwell de Cavalier em 1971 para substituir a aeronave anterior que foi destruída em um incidente de solo quando uma garrafa de oxigênio explodiu depois de ser sobrecarregada. Hoover demonstrou o Mustang e mais tarde o Shrike Commander em centenas de shows aéreos até sua aposentadoria em 1990. Em 1997, Hoover vendeu "Ole Yeller" para o seu bom amigo John Bagley de Rexburg, Idaho. "Ole Yeller" ainda voa com frequência e é baseado no legacy Flight Museum, em Rexburg, Idaho. Bob conheceu pessoalmente grandes aviadores como Orville Wright, Eddie Rickenbacker, Charles Lindbergh, Jimmy Doolittle, Chuck Yeager, Jacqueline Cochran, Neil Armstrong, e Yuri Gagarin.
Shrike Commander (Foto: www.youtube.com).

Hoover é mais conhecido por sua carreira show aéreo civil, que começou quando ele foi contratado para demonstrar as capacidades do Shrike Commander, uma aeronave bimotora de negócios com motores a pistão que tinha desenvolvido uma reputação bastante calma, devido à sua forma volumosa. Hoover mostrou a força do avião quando ele colocou a aeronave através de “rolls”, “loops” e outras manobras, que a maioria das pessoas não associam com aeronaves executivas. Como um “grand finale”, ele desligava os motores e executado um loop e um oito cubano sem hesitação no roll lento e voltava para a pista. Ele tocava baixo em um pneu, depois o outro, antes de pousar completo. Depois de livrar a pista, ele acionava os motores para o táxi de volta para a área de estacionamento. Em aeródromos com grandes rampas de estacionamento (como o aeroporto Reno Stead, onde ocorre o Reno Air Races), Hoover, às vezes, pousava diretamente na rampa e voltava ao seu lugar de estacionamento na frente da arquibancada sem reiniciar os motores. Fala a verdade, o cara manjava dos paranauês né? Hoje em dia o “motorzinho” não pode dar uma pipocada que já estamos suando! (brinks, rs) Sua carreira como piloto de shows aéreos terminou devido a preocupações médicas, quando o certificado médico de Hoover foi revogado pela Federal Aviation Administration (FAA) no início de 1990.
T-28B (Foto: navypilotoverseas.files).

Pouco antes de sua revogação, Hoover experimentou problemas de motor graves em um North American T-28 Trojan ao longo da costa da Califórnia. Durante seu regresso a Torrance, ele foi capaz de manter o motor em funcionamento intermitente constantemente manipulando as alavancas do acelerador, mistura e hélice. O motor travou no momento do “touchdown” no pouso. Hoover acreditava que sua gestão bem sucedida deste difíceis de emergência deve ter convencido o FAA que ele não tinha perdido qualquer capacidade. Enquanto isso, foi concedido a Hoover uma licença de piloto e certificado médico, pelas autoridades de aviação da Austrália. O certificado médico de Hoover foi restaurado pouco depois e ele voltou para o circuito de shows aéreos americano durante vários anos antes de se aposentar em 1999. Com 77 anos de idade, Hoover ainda se sentia capaz de realizar muitas manobras e passou por um rigoroso teste de capacidade física da FAA, mas ele não foi capaz de obter um seguro para shows aéreos. Embora tivesse tido seguro grátis por vários anos como parte do show aéreo e acordos de patrocínio, ele foi forçado em 1999 a pagar por isso do seu próprio bolso e não poderia obter cobertura de menos de US $ 2 milhões. Seu último show foi Sun'N'Fun 2000, em Lakeland, Flórida, onde ele não executou qualquer acrobacia. Depois da aposentadoria de Hoover, seu Shrike Commander foi colocado em exposição no Air and Space Museum Nacional, Udvar-Hazy Center, em Dulles, Virgínia.

Hoover é considerado um dos fundadores da acrobacias modernas, e foi descrito por Jimmy Doolittle como, "... o maior homem da bastão e leme que já viveu”. No Centenário do Voo edição do Air & espaço Smithsonian, foi nomeado o terceiro maior aviador na história.

Durante sua carreira ilustre, Hoover foi premiado com as seguintes medalhas militares: Distinta cruz de voo, Medalha do soldado por Valor, Medalha de ar com Clusters, coração roxo e os franceses Croix de Guerre. Ele também foi nomeado membro honorário dos Blue Angels, Thunderbirds, RCAF Snowbirds, American Fighters Aces Association, Esquadrão Águia e recebeu um Prêmio de Mérito da American Fighter's Pilots Association. Em 1988, ele foi introduzido no Hall da Fama da Aviação Nacional e, em 1992, no Aerospace Ande de Honra.
Shrike Commander (Foto: www.kwagnerhome.com).

Hoover recebeu lendas vivas da Freedom of Flight Award em 2006, em que, em seguida, tornou-se renomeado como "Bob Hoover Freedom of Flight Award" no ano seguinte. Em 2007, ele recebeu do Smithsonian National Air and Space Museum Trophy.

Um reconhecimento talvez, indesejado é o "Hoover jets" usado em bombas de combustível de jato. O “bocal Hoover” é projetado com uma forma de sino achatado e não pode ser inserida no gargalo de enchimento de um avião com o "Anel Hoover" instalado, impedindo assim que o reservatório possa acidentalmente ser cheio com combustível de jato. Foi dado este nome ao sistema depois de um acidente em que Hoover ficou gravemente ferido, quando ambos os motores em seu Shrike Commander falhou durante a decolagem. Os investigadores descobriram que o avião havia sido abastecido por pessoal que confundiu o motor a pistão do Shrike Commander por um modelo turboélice semelhante (Turbo Commander), enchendo os tanques com JET (combustível de jato) em vez de AvGas (gasolina de aviação). Houve AvGas suficiente no sistema de combustível para taxiar para a pista e decolar, mas depois o JET foi bombeado para os motores, fazendo-os parar.

Bob Hoover e o Shrike Commander (Foto: www.airandspace.si.edu).

Uma vez recuperado, ele promoveu amplamente o uso do novo tipo de bico com o apoio e financiamento da National Air Transport Association (NATA), General Aviation Manufacturers Association e vários outros grupos de aviação. Atualmente o bico é exigido pela regulamentação Federal nas bombas de combustível para Jatos (JET).









Rene Maciel / Rock Aircraft
Editor e Piloto Privado.

Um comentário:

  1. Magnífica história.....não conhecia este piloto que se tornou um ícone da aviação de caça e acrobática!

    ResponderExcluir