terça-feira, 15 de novembro de 2016

Antonov An-225 Mriya pousa em Campinas


       Com atraso de 34 minutos no horário previsto, o Antonov AN-225 Mriya finalmente aterrissou no Aeroporto Internacional de Viracopos exatamente às 11h04, rasgando o céu nublado e a garoa da manhã desta segunda-feira (14). A escala em Campinas marca a segunda vinda do supercargueiro para o Brasil, que passou pelo País em 2010, e que agora entrará para a história do aeroporto campineiro. Um batalhão de jornalistas de diversas partes do Brasil, além de fotógrafos especializados em aviação, lotou dois ônibus especiais para o traslado até o lado externo da cabeceira 15, local da aterrissagem.

       A chegada do megacargueiro chamou a atenção do País para Campinas, que recebeu a maior aeronave de cargas em operação do planeta, razão que justifica a curiosidade de mais de 2,5 mil pessoas que foram até o terminal para observar a chegada do gigante do ar. A expectativa da aproximação do Antonov fez dezenas de motoristas estacionarem irregularmente no acostamento próximo ao Km 67 da Rodovia Santos Dumont, trecho ao lado do terminal de cargas, além de diminuírem a velocidade ao passar pelo trecho, o que causou três quilômetros de lentidão na via entre 10h30 e 11h30. A Polícia Rodoviária adotou um esquema especial para controlar o fluxo de veículos no trecho e multar os infratores. No dia anterior, a polícia já havia avisado que autuaria quem infringisse a lei. A infração, leve, registra três pontos na carteira e pagamento de R$ 88,38.

       Nas ruas e avenidas paralelas ao aeroporto, quem aguardava a aterrissagem do AN-225 foi orientado a deixar o local. Moradores da região do Jardim São Domingos tiveram pouca visibilidade da chegada do cargueiro, que desceu pelo lado oposto do aeroporto, na região do Jardim São Cristóvão. Nessa parte da cidade, centenas de pessoas se posicionaram nos gramados, barrancos e ruas acima do nível da pista do aeroporto, enfrentando o mau tempo para acompanhar a chegada da megaaeronave de cargas.

       Quem estava no terminal deu um jeitinho de interromper os afazeres, por alguns instantes, para acompanhar a aterrissagem da colossal aeronave ucraniana. Centenas de passageiros, além de pessoas que trabalham e circulam pelo terminal, se espremeram no parapeito do pátio externo do aeroporto para acompanhar o momento em que o cargueiro tocou a pista de Viracopos, após deixar Houston (EUA).

       Com o maior pátio de aeronaves do Brasil, Viracopos agora inclui mais um superlativo no seu portfólio: o recebimento da maior aeronave do mundo, que ocupou o espaço equivalente a três cargueiros, com seus 88 metros. A aeronave ucraniana ficaria por 12 horas em Viracopos para a instalação de um suporte especial, e às 22h30 seguiria para Guarulhos, onde pernoitaria, partindo às 8h05, rumo ao Chile.

       Marcelo Mota, diretor de operações do aeroporto, contou que a chegada do Antonov estava sob esquema de segurança, com o intuito de evitar ocorrências nas rodovias geradas por curiosos, com o apoio da Rodovia das Colinas, Emdec e Polícia Militar. Não houve registro de acidentes. Durante o pousou e taxiamento do Antonov, as atividades na pista foram suspensas para deixar mais espaço para a passagem da aeronave.

       O Antonov deixará o Brasil com um transformador de 150 toneladas rumo a Santiago (Chile). Será a maior carga já transportada na história da aviação brasileira, e a segunda registrada no mundo perdendo apenas para o transporte de um gerador entre Frankfurt, na Alemanha, e Yerevan, na Armênia. O equipamento tinha 16,23 m de comprimento, 4,27 m de largura e pesava 190t.

       Em Cumbica, cerca de 3 mil pessoas devem acompanhar nesta terça-feira (15) a chegada e a partida do gigante dos ares, em dois grupos - um que ficará dentro do aeroporto e outro fora - ambos combinados em páginas do Facebook. 

       Ver de perto o pouso do Antonov foi mais um incentivo à pretensa carreira de comissária, que a jovem Paola Cristina Ribeiro dos Santos, 17 anos, deseja seguir. Moradora do Jardim Bourbon, Paola saiu de casa às 8h e foi de ônibus até o aeroporto, onde acabou acompanhando um grupo de fotógrafos e conseguiu esperar pelo cargueiro, com o grupo, no lado externo da pista. “Foi emocionante. Valeu muito a pena”, contou.

       A semana começou agitada em Viracopos. Além de ser responsável por movimentar sozinho 40% de toda carga aérea importada do país, o terminal recebeu a maior aeronave do mundo no mesmo dia em que chegou o avião que transporta os equipamentos da Fórmula 1, realizada domingo, além da partida, no início da tarde, da aeronave da banda Guns N’Roses.


Sheila Vieira Correio Popular

Nenhum comentário:

Postar um comentário