quinta-feira, 16 de março de 2017

Estado conhece propostas pelo Amarais nesta quinta

Foto: Cèsar Rodrigues/AAN

          O governo estadual licita nesta quinta-feira a concessão do Aeroporto Estadual Campo dos Amarais. O aeroporto de Campinas é parte de um lote que inclui ainda os terminais de Itanhaém, Ubatuba, Jundiaí e Bragança Paulista. Vencerá a concorrência dos cinco aeroportos a empresa ou consórcio que oferecer o maior valor de outorga fixa — o valor mínimo a ser oferecido pelos licitantes é de R$ 12,15 milhões. As propostas e as empresas interessadas serão conhecidas. Quem vencer o certame terá que investir R$ 93 milhões em 30 anos nos cinco aeroportos, sendo que o Amarais receberá R$ 28,6 milhões no período.

          A Desenvolve SP poderá financiar até R$ 20 milhões para o investimento, além de 50% do valor da outorga. Os investimentos em obras contemplam melhorias nos sistemas de pistas, pátios e sinalização, como também reformas nos terminais de passageiros e ampliações de hangares.

          Segundo a Agência Reguladora de Transporte do Estado de São Paulo (Artesp), esse é um dos poucos projetos de concessão de infraestrutura aeroviária no País que abre possibilidade de participação para pequenos investidores. O concessionário terá que investir R$ 33,6 milhões nos primeiros quatro anos de vigência do contrato. A licitação internacional, que estava suspensa desde abril do ano passado após a inabilitação das duas empresas concorrentes, foi retomada em dezembro com alterações no edital. As principais mudanças estão relacionadas ao financiamento da concessão que, segundo a Artesp, beneficiará os usuários dos aeroportos com novas instalações e dará melhores condições de elegibilidade e financiamento às empresas que disputarem a licitação.

          Podem participar da licitação empresas brasileiras e estrangeiras que, isoladamente ou em forma de consórcio atendam aos requisitos mínimos expressos no edital. Além de investimentos em obras, a concessão engloba a adequação, operação, equipagem e manutenção desses cinco aeroportos, que possuem vocação para aviação geral (executiva e táxi-aéreo). As obras contemplam, por exemplo, melhorias nos sistemas de pistas, pátios e sinalização, como também reformas nos terminais de passageiros e ampliações na infraestrutura de hangares. O concessionário será remunerado por meio de tarifas das atividades aeroportuárias e a exploração econômica de infraestrutura aeroportuária (hangares e outros serviços disponibilizados).

          O Aeroporto Estadual Campo dos Amarais opera com aviação geral (executiva e táxi-aéreo). Possui pista de 1.650 metros, terminal de passageiros com 230 metros quadrados (m²) e estacionamento com capacidade para 50 veículos. Está localizado a oito quilômetros do Centro da cidade. Em 2015, foram registrados 39.753 passageiros e 49.385 aeronaves. Possui 25 hangares e 50 boxes individuais, que abrigam 125 aeronaves, sendo três de grande porte executivo. Existe ainda um aeroclube e duas escolas de voos de helicóptero, além de quatro oficinas de manutenção, três empresas de táxi-aéreo e uma de demonstrações aérea. A estrutura possui também duas abastecedoras de combustível.

Passageiros

          O movimento de passageiros no Aeroporto Estadual Campo dos Amarais, em Campinas, caiu 20% no ano passado na comparação com 2015, segundo o Departamento de Aviação do Estado de São Paulo (Daesp). O comportamento da aviação executiva é resultado da crise econômica, que vem impactando o movimento da aviação civil e atinge especialmente a aviação executiva. Em 2016 passaram pelos Amarais 31.772 passageiros, e em 2015 foram 39.753. O levantamento de 2017 mostra que a queda continua. Em janeiro passaram pelos Amarais 2.370 passageiros, uma redução de 13,6% em relação a janeiro do ano passado

SOBRE OS AEROPORTOS

- Aeroporto Estadual Campo dos Amarais (Campinas).

          Opera com aviação geral (executiva e táxi-aéreo). Possui pista de 1.650 metros, terminal de passageiros com 230 m² e estacionamento com capacidade para 50 veículos. Está localizado a oito quilômetros do Centro da cidade. Em 2015, foram registrados 39.753 passageiros e 49.385 aeronaves.

- Aeroporto Estadual Artur Siqueira (Bragança Paulista).

          Possui pista de 1.200 metros, terminal de passageiros com 225 m², além de estacionamento para 76 veículos. O aeroporto, que está localizado a três quilômetros do centro da cidade, atende as demandas de voos executivos. Movimentou, em 2015, 36.624 passageiros e 37.121 aeronaves.

- Aeroporto Estadual Comandante Rolim Adolfo Amaro (Jundiaí).

          Apresenta pista com 1.400 metros, terminal de passageiros com 500 m² e estacionamento para 50 veículos. São sete quilômetros de distância do centro de Jundiaí. As operações são de voos executivos, sendo que, em 2015, recebeu 11.674 passageiros e 81.211 aeronaves.

- Aeroporto Estadual Antônio Ribeiro Nogueira Jr. (Itanhaém).

          Possui pista de 1.350 metros, terminal de passageiros com 1.560 m² (500 m² do Daesp e 1.060 m² da base da Petrobras) e estacionamento para 50 veículos. Está localizado a três quilômetros do centro da cidade. No ano passado, recebeu 14.379 passageiros e 15.044 aeronaves.

- Aeroporto Estadual Gastão Madeira (Ubatuba).

          Recebeu 3.260 passageiros e 3.446 aeronaves em 2015. A pista do aeródromo possui 940 m, terminal de passageiros com 70 m² e estacionamento para 15 veículos.

Fonte: Maria Teresa Costa RAC

Nenhum comentário:

Postar um comentário