segunda-feira, 16 de abril de 2018

Rock & Aircraft na Fidae 2018.



       A equipe do Rock & Aircraft pousou pela primeira vez na FIDAE (Feria Internacional del Aire y del Espacio), realizada a cada 2 anos em Santiago, no Chile.

       Em 2018, a FIDAE chega a sua 20ª edição e graças ao seu sucesso, hoje é considerada a maior da América Latina e uma das principais e mais importantes no cenário mundial e traz a cada edição, as novidades dos setores: aeroespacial, defesa e segurança. Empresas do mundo todo trazem o que há de melhor em tecnologia, inovação e sofisticação em seus produtos.

       Diversas Forças Aéreas trouxeram o que há de melhor em seus arsenais. A USAF (Força Aérea Americana) veio em peso e expôs o lendário bombardeiro Boeing B-52 Stratofortress (aeronave utilizada desde 1955), os reabastecedores aéreos, Boeing KC-135 Stratotanker e McDonnell Douglas KC-10, os cargueiros multimissão Boeing C-17 Globemaster III e C-130H Hercules. Além de dois Lockheed Martin F-35A “Lightning II”. Todos em exposição estática. Nos céus, o público foi ao delírio com os voos de demonstração do F-22 Raptor, um dos caças de quinta geração da USAF.
Lockheed Martin F-35A “Lightning II” (USAF).
Lockheed Martin F-22A Raptor (USAF).

       A Força Aérea Peruana também esteve presente com as aeronaves Alenia C-27J Spartan (aeronave de transporte tático) e o KAI KT-1P “Torito”, aeronave de treinamento desenvolvida na Coréia do Sul e também fabricada no Peru e que substituirá o Embraer T-27 Tucano na Força Aérea Peruana.
KAI KT-1P “Torito” - Fuerza Aérea del Perú.

       A Airbus trouxe pela primeira vez ao Chile, a aeronave de transporte A400M Atlas. A aeronave da Força Aérea Espanhola fez vários voos de performance no decorrer da Feira e mostrou toda sua versatilidade e manobrabilidade.

       Aeronaves C-295 da Marinha Chilena e da Força Aérea Mexicana (este equipado com winglets) também estiveram em exposição estática durante todo o evento.
Airbus A400M Atlas (Força Aérea Espanhola).
Airbus Military C-295W (Força Aérea Mexicana).

       A fabricante europeia também mostrou toda tecnologia e conforto embarcados em sua aeronave comercial A350XWB, além dos vários modelos de helicópteros do grupo Airbus. E como já é tradição e não poderia faltar, o Brasil esteve muito bem representado pela Esquadrilha da Fumaça, que arrancou suspiros do público presente.
Embraer A-29 Super Tucano ( Esquadrilha da Fumaça).

       O país também esteve representado pela Embraer, que levou pela primeira vez à FIDAE, o KC-390 (aeronave multimissão desenvolvida e fabricada no Brasil e que logo mais estará equipando a Força Aérea Brasileira e demais Forças Aéreas). Além disso, tivemos a maquete em tamanho real do mais novo caça da FAB, o SAAB Gripen NG.

       A FaCh (Força Aérea Chilena) expôs algumas de suas aeronaves, como Boeing 737, 767, Hércules C130 e claro, a Escuadrilla de Alta Acrobacia Halcones. Também do Chile, as aeronaves C-295 Persuader da Marinha, F-16MLU, F-5 Tiger III, A-29 Super Tucano e a simulação de resgate com as aeronaves P-68 Observer e Aerospatiale HH-65 Dauphin.
Extra 300L Halcones (Força Aérea do Chile).
F-5E Tiger III (Força Aérea do Chile).

       Apresentações de músicas, saltos de paraquedas dos Boinas Azules (FaCh) e Wings of Blue (USAF) e o show do piloto norte americano Skip Stewart, complementaram o evento.
Boinas Azules (Força Aérea do Chile).
Skip Stewart (Pitts S-2S  Prometheus).

Considerações finais

       Bom, foram inúmeras atrações que renderiam páginas e páginas, mas em uma forma resumida, espero que tenhamos passado um pouco de tudo que vimos em apenas um dia de evento. Por motivos pessoais dos integrantes de nossa equipe, foi possível cobrir apenas um dia, dos sete da feira. Infelizmente, algumas das atrações já não estavam mais lá, como o A350, KC-390, B737 Max, entre outros. Mas ficou o gostinho de quero mais e a certeza de um retorno nas próximas edições.

       Em relação à organização, é inegável que é um evento extremamente organizado. No dia em que estivemos presentes, cerca de 80 mil pessoas compareceram na feira e não vimos longas filas nas praças de alimentação, haviam locais para as pessoas se sentarem para comer e ao final do dia os pátios estavam limpos. Filas com carros não existiram, pois o transporte Santiago-FIDAE-Santiago foi realizado com ônibus confortáveis que saíam a cada 10 minutos, ou menos, dependendo da necessidade.

       Mas o que contribuiu muito para que o evento fosse realizado com sucesso foi a educação das pessoas que lá estiveram, o que infelizmente nem sempre estamos acostumados a vivenciar no Brasil.

       Esperamos que curtam e que possamos passar um pouco do que presenciamos no Chile. E que venha a FIDAE 2020. Um grande abraço!









João Fernando/Rock Aircraft
Editor e Piloto Privado.

Revisão: Andréia Campos



Um comentário:

  1. Excelente matéria, estive na FIDAE 2016 e realmente foi um espetáculo!

    ResponderExcluir