quinta-feira, 22 de novembro de 2018

Cruzex 2018 em Natal

         O exercício reúne representantes de 14 países, porém apenas alguns enviaram aeronaves, que são estes além do Brasil, também; Canadá, Chile, Estados Unidos, França, Peru e Uruguai com suas aeronaves.

          A Força Aérea Chilena participa com cinco caças F-16 e um reabastecedor KC-135. A delegação, entre pilotos e equipes de manutenção, terá em torno de 90 militares. Essa é a quarta vez que o Chile participa da CRUZEX. 

         Os Estados Unidos participam com aproximadamente 130 militares, um reabastecedor KC-135 e seis caças F-16. A França está presente com apenas uma aeronave C-235, que fica baseada na Guiana Francesa. 

         O Peru, embora já tenha participado da CRUZEX com observadores militares, tem presente aeronaves pela primeira vez nesta edição do exercício. São quatro caças A-37B Drangonfly e quatro caças Dassault Mirage 2000. 
A-37 Dragonfly.

         O Uruguai, também trouxe para a  CRUZEX 2018 quatro caças A-37 Dragonfly. Além desses países, Alemanha, Índia, Bolívia, Portugual, Suécia, Reino Unido e Venezuela também participam da CRUZEX 2018, porém sem aeronaves.   

         O Cessna A-37 Dragonfly, ou Super Tweet, é um avião de ataque leve americano desenvolvido a partir do treinador básico T-37 Tweet nas décadas de 1960 e 1970 pelo fabricante Cessna (mais conhecido pela sua linha de aeroanves civis), de Wichita, Kansas. O A-37 foi introduzido nos anos 60, durante a Guerra do Vietnã e permaneceu em serviço em tempos de paz posteriormente em diversos países, sendo utilizado como aeronave de treinamento avançado e ataque ao solo em operações de contra-insurgência, entre outras. De um total de 16 aeronaves adquiridas dos Estados Unidos, a Força Aérea do Uruguay ainda opera 12 em boas condições.

Texto FAB / Modificado por Yamandu Wanders
Fotos Canindé Soares






























Nenhum comentário:

Postar um comentário