domingo, 26 de abril de 2020

O Corsair do Museu Asas de um Sonho


Chance Vought F4U-1A Corsair c / n 4078 Bu.17995 Museu Asas de um Sonho em São Carlos, Brasil.

2 de junho de 2007.

Aqui está uma pesquisa sobre o Corsair em exibição no museu Asas de um Sonho, perto da cidade de São Carlos, no Brasil. O museu pertencia a companhia aérea TAM, que tem uma coleção seleta de aviões, incluindo exemplares de Spitfire, Messerschmitt, Thunderbolt, e, um Corsair, entre muitos outros.


Este é um Chance Vought F4U-1A Corsair, com número de serial  "n 4078 Bu.17995". Portanto, não é um modelo de série fabricado pela Goodyear ou pela Brewster como publicado em algumas revistas. Agora, se você verificar o bureau number, verá que realmente é um "1A", e não um Corsair de fabricação padrão. A principal diferença entre esses modelos iniciais raros é justamente a sua carlinga em formato "gaiola"(birdcage, semelhante ao P-51B Mustang, P-40 Warhawk e outros que não estavam gozando da tecnologia do acrílico moldável) e não a carlinga em bolha, que proporcionava melhor visibilidade.

Esta aeronave serviu durante a guerra no VMF-441 (U.S. Mariners) e sofreu um acidente pouco esclarecido em 26 de março de 1944 (piloto: Capitão Le Midkiff) que a principio não a danificou seriamente. A aeronave foi exibida como um memorial de guerra em Provo, Uhta, durante 1944 até 1950, e depois permaneceu abandonado em um pátio ferroviário naquela cidade até 1967.

Jim Sullivan, famoso autor e fã de Corsair, encontrou algumas fotos do 17995 durante suas férias em Provo em outubro de 1967. As fotos foram tiradas pelo Sargento Walter F. Gemeinhardt USMC (aposentado), e Jim digitalizou e corrigiu as originais. 
Como você pode ver, a retro-conversão ainda não foi concluída (não há janelas traseiras), mas o canopy está apenas encaixado no lugar, para que alguém já tenha a ideia de como foi restaurado depois.
Na época, era então propriedade de Harry S. Doan, Daytona Beach, FL, por volta de 1967 até 1982 e de Doan Helicopters, Daytona Beach, FL, durante 1982 até 1989. 

A aeronave foi registrada como N90285 e extensivamente restaurado entre 1965 e 1982. Seu primeiro voo pós-restauro foi em março de 1982, em Daytona Beach, FL, e mais tarde se acidentou em um pouso forçado num lodaçal em New Smyrna Beach, FL, em 8 de maio de 1983.

Em seguida,  foi restaurado novamente entre 1984 e 1989, New Smyrna Beach, FL e voltou a voar em 11 de março de 1989. A aeronave sofreu ainda um terceiro restauro, e foi adquirido por Roy M. Stafford, Jacksonville, FL durante 1989 e por Don Knapp / DK Precision, Fort Lauderdale, FL, durante 1989 à 1990.

No entanto, não se sabe quando este Corsair teve seu canopy modificado para o modelo bolha. Provavelmente ocorreu durante o período de 1981 e 1982. Jim Sullivan me disse que ele também não sabe quando a conversão retro foi feita, mas ele tem " uma forte suspeita de que isso aconteceu enquanto estava na posse de Harry Doan (sic)". Para provar seu argumento, Jim forneceu outro elo importante da história - a foto abaixo mostra o 17995 no hangar de Harry Doan em março de 1988.

A aeronave foi entregue a Tim Wallis da Alpine Fighter Collection, Wanaka, Nova Zelândia, onde estrelou durante 1990 até 1999. Foi registrado como ZK-FUI e voou pela primeira vez na Nova Zelândia, em 20 de outubro de 1991, como uma aeronave da RNZAF (Royal New Zealand Air Force, não oficial) com o prefixo NZ5201.

A aeronave foi adquirida em 1999 pela Pratt & Whitney Aircraft, Stratford, CT,  e repintada nas cores do 17-F-13 do VF-17 na campanha do pacífico de 1943 a bordo do USS Bunker Hill (CV-17). Estranhamente, o número de série de esquadrão pintado (56432) também é de um F4U-1A. Por fim, foi negociado com a TAM posteriormente e trazido para o Brasil em 1999, sendo exposto no Museu Asas de um Sonho desde 2004.

Portanto, dois fatos incontestáveis sobre esse Warbird:

A estrutura original pertence a um F4U-1A.

Seu número de Bu. revela que este Corsair pertenceu ao primeiro lote de F4U-1As produzido pela Vought em Stratford, CT, durante 1943. Portanto, essa aeronave em particular compartilhou a linha de produção em Vought com os primeiros F4U-1As usados pelo VF-17.  

Mas faltava explicar:

Quando ocorreu a conversão do canopy original de janelas quadradas para o modelo bolha mais moderno, e por quê. É realmente o Corsair mais antigo em condições de voo (nenhum Corsair da Goodyear ou Brewster estava em produção na época)?

A primeira foi respondida por. Tom Lund de Milwaukee, o mecânico de chapas metálicas de Harry Doan escreveu:

Ralph Nicholas (?) Foi o chefe da oficina (Korea Vet e engenheiro) e Harold Buckingham (Buck) foi seu chapeleiro por muitos anos e fez a maior parte do trabalho de chapas nessa aeronave. A saúde de Buck estava mal, então Harry me contratou (a tempo parcial como aluno) e depois outro ex-técnico de chapa da USAF chamado John (tempo integral). Trabalhamos em sua oficina em South Daytona (Big Tree Rd) e depois nas fábricas em New Smyrna Beach no Corsair, TBM, Sikorski Helicopters e um B-25. Buck morreu em 1982 e ele era um cara legal. Quando instalamos o cockpit superior traseiro, montamos muito bem os orifícios dos rebites, o que diz muito sobre a qualidade da construção. Eu acho que tudo isso foi feito em 1981. Isso foi muito antes do controle digital e do computador. Confiava no trabalho manual individual. Quando os primeiros ensaios de motor foram realizados, o avião ainda estava no cavalete do quintal de Harry, que ficava em um lote muito grande em uma área residencial em South Daytona. A aeronave foi acorrentada a uma laje de concreto em frente à sua oficina e sacudiu o local com 100% de potência. Pergunto o que os vizinhos pensavam? Eu estava lá para o primeiro voo no aeroporto internacional de Daytona. Que bela vista! Que ótimo tempo!

Acabei de me lembrar de outro membro da equipe. Leonard Grasso fez seus trabalhos de pintura. Ele morou em Deland e foi um veterano da Segunda Guerra Mundial que treinou a WAFS para voar para que eles pudessem entregar aviões para a Europa. Leonard também era um cara legal e um piloto que voou em quase todos os tipos de caças da Segunda Guerra Mundial. Esses veteranos têm boas histórias. Leonard preferia o Wildcat. Harry também tinha um B-25, outro F4U em pedaços, um TBM e vários Sikorski H-34 para extração de peças e sendo modificado. O B-25 foi feito por ele por Tom Reilly, de Kissimmee. Eu participei do seu primeiro táxi de alta velocidade em Daytona Regional quando ele decolou brevemente da pista. 

Outra contribuição interessante foi enviada por Louis Gardner, que lembra em depoimento:

Houve danos consideráveis nos profundores verticais e no leme. Isso aconteceu na segunda restauração. O avião não tinha o canopy de "gaiola" quando tirei as fotos. Lembro-me de ver um canopy típico modelo bolha e acho que era de um modelo recuperado de 1D ou de 4.

... Mas ainda tinha o canopy, quando o vi no aeroporto de Spruce Creek no dia de ação de graças em 1981 ou 1982. Tenho algumas fotos muito legais de Harry pilotando este avião em um passe baixo de alta velocidade neste dia.

Lembro-me de Harry dizendo que pegou um Corsair no NAS Jacksonville. A Marinha o colocou em um hangar, empurrou-o para um canto e "esqueceu" lá. Era este avião ou o seu F2G. Harry morreu em um acidente no show Ti-Co Air em Titusville, em 4 de abril de , 1992. Ele estava voando um AD4 Skyraider. Sua esposa vendeu a maior parte de sua coleção logo depois.

... Seu antigo F2G-1 também foi perfeitamente restaurado para a configuração de corrida # 57 por Bob Odegaard em Dakota do Norte. Ele voou novamente em 1999 e foi pilotado por Bob entre 2006 e 2008. Pelo que sei, Bob morreu em setembro de 2012, quando estava pilotando outra aeronave de corrida F2G-2 # 74. Outra perda trágica, tanto no homem quanto na máquina.

Isso acrescenta um pouco de confusão, já que aparentemente o Corsair serial 17995 já foi encontrado em Provo com o canopy instalado na fuselagem (veja as fotos acima). Eu acho que Louis se refere à adaptação para incorporar as janelas traseiras ausentes ...

Como podemos ver, existe a possibilidade de que algum dia Harry tenha tentado encaixar o canopy original. Quanto à segunda pergunta, a resposta é não. A honra vai para o F4U-1 BuNo. 17799, de  propriedade da Planes of Fame, em Chino, Califórnia. O BuNo.17995 também não é o Corsair sem condições de voo mais antigo, desde o BuNo. 02465 que foi recentemente recuperado do Lago Michigan e está atualmente em restauração no Museu Nacional de Aviação Naval , NAS Pensacola, Flórida.

Louis Gardner voltou a nos resgatar com alguns comentários e fotos maravilhosos sobre a história desse Warbird em particular:

"... Depois que olhei as fotos novamente hoje, percebi que minha memória estava enganada.  O Corsair não possuía o canopy bolha até que a segunda restauração que começou em New Smyrna, em 1983. Até então, ele tinha o canopy normal do estilo soprado que Harry Doan mandou seus homens instalarem o dossel modelo gaiola. Além disso, quando olho para as fotos agora, percebo que o avião tinha as rodas principais do trem de pouso no estilo original, na época. gancho instalado. Você terá que olhar as imagens para ver se a roda traseira traseira e a perna que estão presentes durante esse período de tempo .... "

E, finalmente, a solução do quebra-cabeça: "Essas fotos foram tiradas pelo meu pai na oficina Big Tree durante o verão de 1976. Nele, estou ao lado da seção de cauda de 17995. Isso é antes das asas serem instaladas. o fundo é a Big Tree Rd. A casa de Harry Doan ficava à esquerda dessa foto e é bloqueada pelo nariz do Corsair ... "  

"Tirei esta foto do número 17995 no fim de semana de Ação de Graças de 1982. Harry Doan estava de táxi em preparação para decolar no aeroporto Spruce Creek. Era assim que ele cuidava depois da primeira restauração concluída. Ele tem um dossel soprado aqui e é pintado no esquema tricolor do comandante do VF-17, Tommy Blackburn. O avião foi o número 1 e recebeu o nome de “BIG HOG”.

"Harry virou o avião de costas no final da pista no aeroporto New Smyrna durante abril ou maio de 1983. Ele perdeu o freio e saiu correndo pelo fim da calçada, virando de cabeça para baixo nos apartamentos de barro no final. A fuselagem se partiu logo atrás do cockpit. A aeronave sofreu danos consideráveis, mas foi restaurada novamente às condições de voo: "

Louis também enviou muitas outras fotos muito interessantes sobre a oficina de Harry Doan na Big Tree Rd., Mas isso é outra história ...

O texto e as fotos são de direitos autorais de Rato Marczak. 
link original: http://www.ratomodeling.com/references/f4u_bu17995/index.html

Traduzido e adaptado por Yam Wanders / Rock & Aircraft.











Rato Marczak

Nenhum comentário:

Postar um comentário